PARÁ: Tomé-Açu pode se tornar ‘modelo de cidade japonesa’ fora do Japão

Tomé-Açu, no nordeste do Pará, poderá se tornar modelo de cidade japonesa fora do Japão. O projeto, que está sendo fomentado pela Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará, propõe que a terceira maior comunidade japonesa do Brasil tenha os mesmos avanços estruturais do país oriental. O plano foi apresentado ao governador Simão Jatene no dia 18 de novembro, no Palácio do Governo. Na ocasião, o chefe do Executivo recebeu o convite para o evento de comemoração pelos 30 anos da entidade.

 

O projeto foi apresentado ao governador Simão Jatene no dia 18 de novembro pelos dirigentes da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará, que completa 30 anos (Foto: divulgação)

O projeto foi apresentado ao governador Simão Jatene no dia 18 de novembro pelos dirigentes da
Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará, que completa 30 anos (Foto: divulgação)

 

“Essa é uma ideia potencial, porque Tomé-Açu é uma das únicas cidades reconhecidas mundialmente como detentora da característica de imigração japonesa, e o próprio governo japonês reconhece isso”, explicou o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará, Fernando Yamada, ao comentar que os imigrantes que vieram para o Estado se tornaram grandes empreendedores e foram os que mais cresceram e investiram em educação entre as colônias nipônicas em todo o mundo.

“Isso mostra que podemos fazer disso um case, para que Tomé-Açu seja uma cidade com potencial e estrutura de conhecimento japonês nas áreas de educação, saúde e segurança pública e nos pilares econômicos, com característica de país de primeiro mundo, como é o Japão”, disse Fernando Yamada. Com apoio do Governo do Pará, será desenvolvido um projeto urbanístico pensando em todos os pilares e segmentos para o desenvolvimento não apenas pela área social, mas econômica do município. “A partir do projeto, penso que o governo japonês vai abraçar a execução disso”, reiterou Yamada.

Para Simão Jatene, a empatia gerada entre o Japão e o Pará tem gerado bons frutos para ambas as partes. “Não podemos pensar na história da agricultura do nosso Estado sem passar pela história da imigração japonesa”, afirmou o governador, lembrando que o governo apoia o projeto de tornar Tomé-Açu uma cidade modelo com perfil do Japão. “Acredito que vai ser um belo exemplo de sucesso”, completou.

 

Essa é uma ideia potencial, porque Tomé-Açu é uma das únicas cidades reconhecidas mundialmente como detentora da característica de imigração japonesa (Foto: divulgação)

Essa é uma ideia potencial, porque Tomé-Açu é uma das únicas cidades reconhecidas mundialmente como detentora da característica de imigração japonesa (Foto: divulgação)

 

30 Anos – Acompanhado dos vice-presidentes da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará, Yoshio Kamizono, Yozo Yamamoto e Shoji Yamanaka, Fernando Yamada entregou ao governador o convite para o evento de comemoração dos 30 anos da entidade, que será nesta sexta-feira (11), no Hotel Princesa Louçã, como parte das comemorações dos 120 anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão.

 

(Com Agência Pará de Notícias)

 

 

Related Post

TRADIÇÃO: No último dia do ano, 44º Moti Tsuki Mat... A Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), com apoio das principais entidades nipo-brasileiras (Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultur...
RIO DE JANEIRO: Shinnenkai 2014 com intenso desejo...   A comunidade do RJ celebrou Shinnenkai – Festa ao Ano novo com intenso desejo de melhoria e grande confraternização em 12 de janeiro de 2014...
EMPRESAS: Nissan anuncia reestruturação na área co...   Com planos de crescimento no País e a implantação de uma nova fábrica no Rio de Janeiro em progresso, a Nissan do Brasil anuncia novidades e...
UNDOKAI: Palestras e oficinas de alimentação saudá... No último dia 22, o Bloco Kyushu, que inclui as províncias de Fukuoka, Kagoshima, Kumamoto, Miyazaki, Nagasaki, Oita, Okinawa e Saga, realizou com suc...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *