POLÍTICA: Após oito meses no cargo, Ihoshi destaca conquistas e vê ‘amadurecimento político’

A reforma ministerial promovida pela presidente Dilma Rousseff (PT) causou uma baixa na bancada nikkei da Câmara dos Deputados. Edinho Araújo (PMDB), ex-ministro da Secretaria Nacional dos Portos, reassumiu na segunda-feira (5) seu mandato e, com isso, Walter Ihoshi voltou à  condição de primeiro suplente da coligação PSD/Pros/PMDB/PP.

Ihoshi assumiu seu terceiro mandato em fevereiro, após a posse de Edinho Araújo como ministro. Foram oito meses no cargo. Apesar do pouco tempo, Ihoshi destaca não só importantes conquistas como também seu “amadurecimento” político.

 

"Foi um período onde conseguimos aprimorar nossa atividade parlamentar”, explica Walter Ihoshi (Foto: divulgação)

“Foi um período onde conseguimos aprimorar nossa atividade parlamentar”, explica Walter Ihoshi (Foto: divulgação)

 

“Foi um período onde nós conseguimos aprimorar nossa atividade parlamentar. Posso dizer que foram oito meses muito intensos”, explicou Ihoshi. Segundo ele, uma de suas grandes satisfações foi ter sido relator de diversos projetos de lei na Casa, entre eles o polêmico Projeto de Lei Complementar (PLP) 366/13, de autoria do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que proíbe municípios e o Distrito Federal concederem às empresas benefícios com renúncia do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) abaixo da alíquota de 2%. Ihoshi foi relator de Plenário de três Comissões – Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) e Comissão de Finanças e Tributação (CFT).

 

Conquistas – O parlamentar destacou que a aprovação da matéria vai trazer segurança jurídica para as empresas poderem operar e tranquilidade para que os municípios possam receber esses recursos  e também, além de responsabilizar administrativamente os prefeitos que insistirem em promover a guerra fiscal.

“A medida visa fortalecer os municípios e, ao mesmo tempo, traz à luz aqueles serviços que estavam na penumbra”, justificou Ihoshi, afirmando que “não se trata de criar um novo tributo e sim ajustar o sistema de tributação a todas as empresas que disponibilizam e prestam serviços no Brasil”.

 

Ihoshi comemorou a aprovação do projeto que regulamenta o salão-parceiro” e o “profissional-parceiro” (Foto: divulgação)

Ihoshi comemorou a aprovação do projeto que regulamenta o salão-parceiro” e o “profissional-parceiro” (Foto: divulgação)

 

Medicamentos – Ihoshi também aponta como avanço a aprovação do texto-base do Projeto de Lei Complementar 25/07, que aumenta em 250% o limite de enquadramento da microempresa no regime especial de tributação do Simples Nacional (Supersimples). O parlamentar destacou ainda sua atuação para a instalação da Frente Parlamentar Mista para a Desoneração dos Medicamentos. O lançamento foi realizado nesta quarta-feira (7), no auditório Freitas Nobre da Câmara dos Deputados, com a presença de Ihoshi. “Não temos a presunção de abaixar os preços dos remédios quando o movimento é contrário. A Frente tem uma proposta mais conceitual, que é a de buscar o debate”, explicou Ihoshi, que também comemorou a aprovação do Projeto de Lei nº 5.230/13 que regulamenta o “salão-parceiro” e o “profissional-parceiro” e dispõe sobre as atividades profissionais do setor.

 

Marília – Empreendedor do setor de beleza, Ihoshi disse que a conquista pode ser replicada para outros setores. “O salão-parceiro vai dar segurança jurídica para aquele profissional que atua no setor e para aquele que oferece o espaço”, afirmou ele, que também citou suas andanças pelo interior do Estado, em especial por Marília – seu domicílio eleitoral –, em companhia do ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), ajudando não só na consolidação político-partidária como também atendendo as demandas de várias Prefeituras, como as de Cândido Mota, Santa Cruz do Rio Pardo, Pedrinhas Paulista, Tupã, Parapuã e Ribeirão do Sul, entre outras.

 

“O trabalho não para”, afirma Walter Ihoshi (Foto: Aldo Shiguti)

“O trabalho não para”, afirma Walter Ihoshi (Foto: Aldo Shiguti)

 

Comunidade – Para Ihoshi, a comunidade nipo-brasileira também mereceu uma atenção especial em sua agenda. “No ano em que comemoramos os 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, gostaríamos de ter ajudado mais, mas infelizmente nossa atuação ficou limitada em função da escassez de emendas”, justificou, acrescentando que, mesmo sem mandato, acompanhará a visita que o príncipe Akishino e sua mulher, a princesa Kiko, farão ao Brasil entre o final deste mês e o início de novembro.

“Vamos estar presente na cerimônia oficial em Brasília e em São Paulo”, assegurou Ihoshi. Segundo ele, “se por um lado tem o ônus de não ter mandato, por outro tem o bônus de ter mais tempo para me dedicar”. “Vou reorganizar o trabalho e aproveito para avisar que manterei abertos os escritório políticos em Marília e na capital para atender as demandas da população. Fico na expectativa de reassumir o mandato a qualquer momento. E isso pode acontecer já em 2017, quando o próprio deputado federal Edinho Araújo está sendo bem cotado para disputar e vencer a disputa para prefeito em São José do Rio Preto. Enquanto isso o trabalho não para”, disse Ihoshi.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

    Related Post

    SÃO PAULO/ABASTECIMENTO: Feira de Flores da Ceages... 30A tradicional Feira de Flores que acontece no Entreposto Terminal de São Paulo (ETSP), da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (C...
    IMIGRAÇÃO JAPONESA: Alckmin participa da comemoraç... O Estado de São Paulo e a província japonesa são “estados irmãos” desde 1973     Alckmin participou com os membros da Associação...
    DIA NACIONAL DO PERDÃO: SENADO APROVA PROJETO DE A... O Senado Federal aprovou o Projeto de Lei 6128/2013 que estabelece, em 30 de agosto, o Dia Nacional do Perdão. O projeto é de autoria da deputada fede...
    COMUNIDADE: Apesar da chuva, 5º To-Sa Matsuri conf... “Com a gente não tem tempo ruim”. A frase, dita pelo humorista, radialista, ator e roteirista Marcos Aguena, o Japa – que participou pela primeira vez...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *