POLÍTICA: Em Marília, Walter Ihoshi reafirma interesse em aprofundar debate sobre visto para yonseis

O deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP), que iniciou 2017 como titular na cadeira na vaga de Edinho Araújo (PMDB) – que assumiu como prefeito de São José do Rio Preto – concedeu uma entrevista coletiva a alguns jornalistas da imprensa de Marília (SP), onde possui base eleitoral, para tratar sobre a retomada das suas atividades parlamentares na Câmara dos Deputados.

Eleito com 88.070 votos e com trabalhos não só para a comunidade nikkei mas também com projetos direcionados para Marília e região, Ihoshi traçou  um panorama dos trabalhos a serem a realizados nos próximos anos do seu terceiro  mandato.

 

Em Marília, Ihoshi reafirma interesse em aprofundar debate sobre visto. Foto: divulgação

 

Um dos pontos abordados pelo parlamentar e já destacado pelo Jornal Nippak é o fortalecimento das relações bilaterais com o Japão. Recentemente, Ihoshi recebeu um convite do governo japonês para uma viagem oficial ao país no mês de março, onde vai aprofundar o debate do visto de permanência aos descendentes da quarta geração japonesa, os chamados yonseis.

Um dos principais apoiadores do movimento articulado pelas cinco principais entidades nipo-brasileiras – Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Aliança Cultural Brasil-Japão e Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, além do Ciate (Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior) – Ihoshi disse que “há pontos positivos que contribuem para o êxito neste diálogo como sendo o Brasil a maior comunidade japonesa fora do Japão”. Porém, ele frisou que os muitos delitos cometidos por brasileiros nos últimos anos lá, “causam entraves para essa liberação”. Nesta quarta-feira (25), o deputado pretendia abordar o tema com o novo embaixador do Japão no Brasil, Satoru Satoh, durante encontro realizada na Embaixada para celebrar o Ano Novo – ocasião que também aconteceu a cerimônia de outorga  ao ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Massami Uyeda, 74 anos, condecorado com a Ordem do Sol Nascente, Estrela de Ouro e Prata pelo governo japonês.

 

O deputado federal Walter Ihoshi concede coletiva ao lado do vereador de Marília, Marcos Rezende. Foto: divulgação

 

Orçamento – Outro ponto abordado durante a conversa com os jornalistas foi sobre emendas para o orçamento de 2017. O parlamentar explicou que, por estar ausente dos trabalhos da Câmara no ano passado,  não pode apresentar emendas para o orçamento de 2017, mas assegurou que vai lutar por esses recursos que auxiliarão no desenvolvimento das cidades.

“Dezessete deputados assumiram mandatos neste ano e não puderam apresentar, em outubro passado, suas emendas para o orçamento de 2017. Mas iremos nos reunir junto à Casa Civil a fim de conseguir esses recursos ainda este ano e ajudar os municípios que tanto carecem desses valores para os auxiliarem no desenvolvimento de suas políticas públicas”, disse Ihoshi que mesmo suplente conquistou inúmeros benefícios às cidades nos anos anteriores.

 

 

Remédios mais baratos – Ao lado do vereador e vice-presidente da Câmara dos Vereadores de Marília, Marcos Rezende (PSD), Ihoshi reafirmou o compromisso de colaborar com o município nos projetos ligados à saúde, infraestrutura e entidades sociais ajudando o prefeito Daniel Alonso a trabalhar pelo bem da população mariliense. “Tenho compromisso e devemos pensar na cidade de Marília. Vamos colaborar no que for preciso para trazer benfeitorias para esta cidade que me acolheu muito bem”, ressaltou.

Ihoshi, que antes de conceder a coletiva se reuniu com o prefeito eleito de Marília, Daniel Alonso (PSDB), em seu gabinete, acompanhando pelo vereador de Marília, Marcos Rezende e lideranças do Nikkey Clube para apresentar os eventos da colônia japonesa para este ano na cidade – sendo o principal deles o Japan Fest – destacou também a retomada das ações da Frente Parlamentar para a Desoneração dos Medicamentos. Segundo ele, esse trabalho é importante pois com os remédios mais baratos toda a população terá acesso a esses produtos e fazer uso para o tratamento de doenças ou prevenção delas.

“Grande parte da tributação é ICMS. Existem as isenções, mas queremos ampliá-las. O problema é que a Câmara libera a categoria de medicamentos em doses homeopáticas. Atualmente, os remédios possuem carga tributária elevada, na ordem de 36%. Os remédios deveriam estar nas mesmas condições tributárias de produtos essenciais da cesta-básica. Assim como os alimentos, os medicamentos são essenciais e merecem um cuidado especial”, alertou o deputado, acrescentando que tão logo retornar do recesso parlamentar pretende apresentar uma emenda que propõe reduzir de 65 para 60 anos a idade mínima para a aposentadoria. “É importante a Reforma da Previdência, mas existem alguns reparos a serem feitos”, ressaltou.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

    Related Post

    COMUNIDADE: São Paulo e Paraná definem Comissões p... As comunidades nikkeis de São Paulo e Paraná, Estados que concentram o maior número de descendentes de japoneses no país, já definiram suas respectiva...
    SANTA CRUZ: Hospital comemora 78 anos com lançamen... Para comemorar seu 78º aniversário de fundação, o Hospital Santa Cruz lançou, no último dia 25, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, no...
    JAPAN HOUSE SP: Com Japan House SP, Japão inaugura... Melhor que tentar explicar a Japan House São Paulo em palavras, o ideal é visitar a instalação para poder entendê-la. E mesmo a assimilação pode levar...
    MÚSICA: ‘Desconhecida’, Maiko Kozakura conquista p... E o público cantou junto com Maiko Kozakura. Em sua primeira – e única – apresentação no país, a cantora criou uma empatia tão grande com o público br...

    One Comment

    1. Francisco Nakaema says:

      eu sou contra o visto Yonsei, Jovens que poderiam estudar e ter uma profissão de nível superior fazendo trabalhos desqualificados.

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *