POLÍTICA: Luiz Nishimori comemora aprovação da isenção de impostos sobre produtos da cesta básica

 

O Senado e a Câmara Federal aprovaram, em agosto, a Medida Provisória 563/12. No texto foi inserida emenda que zera os impostos federais dos produtos da cesta básica, a qual foi apresentada pelo líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo, em parceria com o deputado Luiz Nishimori (PSDB-PR) e demais parlamentares do partido. Agora, a isenção ainda depende da aprovação da presidente Dilma Rousseff (PT).

 

O deputado federal Luiz Nishimori (Foto: divulgação)

Como vice-líder do partido na Câmara dos Deputados, Luiz Nishimori celebrou a aprovação, que beneficia todos os brasileiros e tem abrangência social. “A extinção dos impostos nas mercadorias da cesta básica terão impacto positivo na atividade econômica brasileira. A população não pode continuar sendo prejudicada com altos impostos em produtos essenciais do cotidiano”, afirma o parlamentar.

A emenda do PSDB reduz a zero as alíquotas de Pis/Pasep, Cofins e IPI para os produtos alimentares que compõem a cesta básica. De acordo com estudo da Federação das Indústrias do estado de São Paulo (Fiesp), a desoneração dos produtos da cesta básica vai incrementar o Produto Interno Bruto (PIB) em R$ 10,9 bilhões e pelo menos 416 mil novos postos de trabalho. Os brasileiros teriam como consumir mais e de maneira diversificada, o que impulsionaria a economia. Os principais alimentos que compõem a cesta básica são: leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, carne, óleo e manteiga.

A Medida Provisória 563 é uma ampliação do programa Brasil Maior, que visa aquecer a economia e reduzir os custos de produção da indústria. Dentre outras questões, a MP prevê a desoneração da folha de pagamento de 15 setores, a redução de impostos como o desconto no IPI dos automóveis e outros bens de consumo, criação de regimes especiais de tributação para a implantação de redes de telecomunicações e de fabricação de computadores para uso educacional.

 

Reporto – Dentre os contemplados estão o da indústria têxtil, de plásticos, de material elétrico, fabricantes de ônibus, de auto-peças, naval, aérea, fabricantes de móveis, setor de bens de capital, hotéis e fabricantes de chips.

As empresas de couro e calçados, confecções, call centers e de tecnologia da informação também tiveram alíquotas reduzidas.

A medida também modifica a lei que regulamenta o Regime Tributário para Incentivo à Modernização e à Ampliação da Estrutura Portuária (Reporto), além de ampliar abrangência de incentivos tributários a empresas exportadoras.

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

ELEIÇÕES 2012: Prefeito eleito de Janaúba, Yuji Ya...   Você, provavelmente, ainda não deve ter ouvido falar de Janaúba. Segunda maior cidade do norte de Minas Gerais (distante 132 km de Montes Cl...
ORQUÍDEAS: Mostra gratuita da Sociedade Bandeirant... Neste fim de semana (24 e 25), o Esporte Clube Banespa ficará mais colorido e perfumado.  A Sociedade Bandeirante de Orquídeas - SBO promoverá, no Sal...
EMPREENDEDORISMO: Ihoshi destaca luta da ACSP em p... O deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP) participou no último dia 23 da sessão solene de posse das presidências, diretorias e conselhos da Federação ...
SAÚDE: Hospital Santa Cruz homenageia a Fundação K... Pela quarta vez consecutiva, a Fundação Kunito Miyasaka colaborou com o Hospital Santa Cruz (HSC) de São Paulo. A instituição doou R$ 310 mil para o H...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *