POLÍTICA: ‘Vamos intensificar nosso trabalho’, diz Walter Ihoshi

Walter Ihoshi agradece carinho e apoio da comunidade nipo-brasileira (foto: divulgação)

A notícia já era aguardada. Com a reforma promovida pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) em seu secretariado, os deputados federais licenciados se desincompatibilizaram de seus respectivos cargos e retornaram à Câmara para concorrerem à reeleição. Na terça-feira (8), foi a vez de Silvio Torres (PSDB) – que também é suplente – se despedir da Secretaria Estadual de Habitação e reassumir sua cadeira. Com isso, Walter Ihoshi (PSD-SP) deixou o cargo que ocupava desde novembro de 2012.

“Está tudo dentro do planejado”, disse Ihoshi, acrescentando que desde o início da semana estava cumprindo agenda em São Paulo já esperando a uma possível saída. “Hoje (terça) mesmo falei com o Silvio Torres para desejar boa sorte”, disse Ihoshi, que “deu batente” até segunda-feira à noite. “Estive na Câmara Municipal de Indaiatuba para acompanhar o lançamento da Frente Parlamentar para a Desoneração dos Medicamentos”, conta Ihoshi, lembrando que o vereador Massao Kanesaki (DEM) presidirá a Comissão que terá quatro vereadores.

Segundo ele, a luta pela desoneração dos remédios continuará “mesmo sem minha presença em Brasília”. “A Comissão Especial deve ser instalada no dia 15 de abril e vamos seguir trabalhando nos bastidores para que possamos dar uma resposta para a sociedade”, afirmou Ihoshi, que pretende também intensificar sua pré-campanha,”uma vez que fui liberado da minha presença física em Brasília”.

“Agora é mostrar aos eleitores nosso trabalho para tentar voltar à Câmara”, disse Ihoshi, que na última eleição recebeu 104.400 votos que o deixaram na sexta suplência da coligação DEM/PSDB.

Foi a segunda passagem de Ihoshi em um mesmo mandato. A primeira foi entre fevereiro de 2011 e fevereiro de 2012 na vaga de Walter Feldman, então secretário Especial de Organização de Grandes Eventos da Prefeitura de São Paulo – cargo criado pelo ex-prefeito Gilberto Kassab. Nesse período, Ihoshi foi considerado “um dos mais atuantes suplentes” pela comunidade. Em seu retorno, em novembro de 2012, conseguiu aprovar a Lei número 12.874/13, que permite a oficialização de divórcio e separação consensuais de brasileiros no exterior por embaixadas ou consulados do país. A lei foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) em outubro do ano passado.

 

Gratidão – “Fica a gratidão à comunidade nipo-brasileira pelo carinho e apoio ao nosso trabalho, que continua. Vamos intensificar nossas ações na Capital e no interior com o objetivo de buscar nossa reeleição”, explica Walter Ihoshi, acrescentando que agora terá mais tempo para se dedicar às atividades da Associação Comercial de São Paulo, entidade da qual é vice-presidente.

(Aldo Shiguti)

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

REAJUSTE SALARIAL: Aurélio Nomura fará instrução p... O projeto para reajustar o salário dos vereadores que já está sendo discutido na Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo não está sendo visto c...
Eleições 2012: Mogi elege cinco vereadores nikkeis...   O discurso é idêntico ao do pai, o deputado federal Junji Abe (PSD). Eleito com 5.923 votos (2,82% dos votos válidos) – a maior votação nomi...
LONDRINA: Câmara de Vereadores de Londrina homenag... No último dia 9, a Câmara de Vereadores de Londrina (PR) foi palco da recepção oficial à comitiva de empresários de Nishinomiya (Japão), cidade irmã d...
POLÍTICA: Em mandato relâmpago, Massami Miki quer ... “Estou aqui para cumprir uma formalidade”. Desta forma, Massami Miki (PSL-AM), explicou à reportagem do Jornal Nippak o mandato “relâmpago” na Câmara ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *