REGISTRO/ESPECIAL: Conheça a história do Tooro Nagashi de Registro

Há cerca de 60 anos, um viajante japonês passou pela região de Registro e hospedou-se numa pensão de Seta Barras. Certa manhã, desceu ao rio para lavar o rosto, caiu e se afogou. Sua família, no Japão, pediu ao obosan (sacerdote) da Nichirenshu (uma das doutrinas do budismo) da mesma terra (província de Fukui), que um dia rezasse no Brasil pela alma do filho falecido. Em 1954, o casal Emei e Myoho Ishimoto, recém-casados no Japão, veio para São Paulo quando a noiva tinha apenas 18 anos.

 

Cerimônia religiosa do Tooro Nagashi é uma forma de prestar homenagem a todos os antepassados (foto: divulgação)

Cerimônia religiosa do Tooro Nagashi é uma forma de prestar homenagem a todos os antepassados (foto: divulgação)

 

 

Emei Ishimoto, que também era obosan da Nichirenshu, procurou Bunzo Kasuga, único adepto da Nichirenshu de Registro e realizou o primeiro Tooro Nagashi, em 1955. Nesta cerimônia religiosa do primeiro Tooro Nagashi de Registro, foram soltos sete tooros em homenagem a sete vitimas – o viajante japonês e as vítimas das famílias Hajime Yoshimoto, Tomeji Musha e Teizo Akune, entre outras.

O sacerdote Emei Ishimoto e Bunzo Kasuga conseguiram a doação de um terreno da Prefeitura Municipal de Registro para construir o monumento em homenagem às vítimas de afogamento, que foi erguido na Rua Miguel Aby-Azar, às margens do Rio Ribeira do Iguape, onde é realizada anualmente a cerimônia religiosa de Tooro Nagashi.

Em 1984, com o falecimento de Emei Ishimoto, aos 57 anos de idade, a viúva Myoho Ishimoto continuou com a tradição e participa até hoje da cerimônia de Tooro Nagashi. Após o falecimento de Bunzo Kasuga, seu filho Kesao continuou organizando o Tooro Nagashi, juntamente com Hajime Yoshimoto.

 

Este ano serão soltos cerca de 2500 tooros no rio Ribeira de Iguape (foto: divulgação)

Este ano serão soltos cerca de 2500 tooros no rio Ribeira de Iguape (foto: divulgação)

 

 

Três anos antes de falecer, Kesao Kasuga procurou a Associação Cultural Nipo-Brasileira de Registro, para pedir apoio para dar continuidade à cerimônia do Tooro Nagashi. O Bunkyo, que já angariava recursos junto a seus associados, passou a participar ativamente da organização do evento. Atualmente, o Tooro Nagashi é co-promovido pelo Bunkyo de Registro, Nichirenshu do Brasil, Acer e Prefeitura Municipal de Registro.

A cerimônia é ecumênica e conta com a participação de adeptos de diversas religiões, além da Nichirenshu do Brasil, Registro Honganji, Igreja Católica e da Seicho-no-Iê. As orações são dirigidas a todos os antepassados e não apenas às vítimas de afogamento.

Na noite de 2 de novembro, antes de soltar os tooros, dois jovens batem taiko em um barco, para purificação das águas do rio. Depois os barquinhos começam a ser colocados um a um, colorindo as águas do rio Ribeira de Iguape.

(Fonte: site do Bunkyo de Registro)

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: A MELHOR CERVEJA E GRÁTIS   (Foto: Shigueyuki Yoshikuni)   O Katsuji Suzuki, 83 anos, solteiro, sempre viveu, até há pouco tempo, sozinho em um sítio de sua...
FOTOGRAFIAS: Exposição itinerante internacional ap... A exposição internacional “Tohoku -  através do olhar dos fotógrafos japoneses” chega ao Brasil este mês para percorrer quatro capitais. A estreia, pr...
LÍNGUA JAPONESA: FFLCH da USP promove Simpósio Int... Entre os dias 11 e 13 de setembro, o Departamento de Letras Orientais da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP promove ...
COMBATE AO MOSQUITO DA DENGUE: Walter Ihoshi suger... O governo federal anunciou que estuda a possibilidade de desonerar os impostos sobre a importação de ingredientes que compõem os repelentes. A medida ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *