REGISTRO/SP: Vale do Ribeira recebe primeira unidade do SESC no KKKK

O KKKK não pense que é a sonorização de uma risada das redes sociais. Pelo menos em Registro, interior de São Paulo o KKKK (Complexo Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha) as margens do Rio Ribeira, é um ícone de grande representação histórica e arquitetônico para a comunidade japonesa e a cidade, tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Até semana passada, o local abrigava o Museu da Imigração Japonesa que foi transferido temporariamente para um casarão na mesma rua. Em substituição ao museu, o KKKK abrigará a primeira unidade do SESC (Serviço Social do Comércio) no Vale do Ribeira.

“O KKKK está em boas mãos, o SESC irá preservar aquilo que nós japoneses mantivemos até agora". Foto: Luci Judice Yizima

“O KKKK está em boas mãos, o SESC irá preservar aquilo que nós japoneses mantivemos até agora”. Foto: Luci Judice Yizima

O diretor-geral do SESC São Paulo, Danilo dos Santos Miranda em entrevista ao  Jornal Nippak, declara a importância da entidade em Registro. “A negociação para a instalação de uma unidade do Sesc em Registro já vem acontecendo há anos. É um espaço emblemático, com proposta de disseminar a cultura e como objetivo de entreter e criar laços com a comunidade japonesa que durante anos abrigou o Memorial da Imigração Japonesa”, afirma. “É uma honra dividir e fazer parte da história da cidade de Registro e região no Vale do Ribeira. O empreendimento terá instalações parecidas com as do Sesc-Pompéia, mas será menor. Enquanto a unidade paulistana, no bairro da Pompéia, conta com cerca de 22 mil metros quadrados, a primeira do Vale do Ribeira conta com 4 armazéns, possui quase 20 mil metros quadrados”, destaca o diretor.

Kazuoki Fukuzawa (pres. Bunkyo de Registro), Yamamura (pres. Sudoeste), Debora Teixeira (gerente da Unidade SESC de Registro), Danilo dos Santos Miranda (Diretor-Geral SESC São Paulo), Kunihiko Takahashi (Comerciante), Satoru Sassaki (Diretor do Memorial da Imigração Japonesa do Vale do Ribeira). Foto: Luci Judice Yizima

Kazuoki Fukuzawa (pres. Bunkyo de Registro), Yamamura (pres. Sudoeste), Debora Teixeira (gerente da Unidade SESC de Registro), Danilo dos Santos Miranda (Diretor-Geral SESC São Paulo), Kunihiko Takahashi (Comerciante), Satoru Sassaki (Diretor do Memorial da Imigração Japonesa do Vale do Ribeira). Foto: Luci Judice Yizima

Segundo Danilo, a nova unidade já atuava nestes galpões de forma itinerante. “Agora, com a cessão da área, poderão se instalar permanentemente com ginásio, comedoria, teatro e piscinas. Serão inseridos os valores que são e fazem parte da cultura do SESC, uma convivência harmoniosa adequado a força da beleza arquitetônica e das possibilidades devidas. Tudo dentro das exigências por conta da questão histórica”, conclui Danilo impondo respeito a tradição japonesa.

Na ocasião foi apresentada a gerente da nova unidade, será dirigida por Debora Teixeira, que possui mais de 20 anos de experiência na instituição e passou por outras unidades na capital e  litoral paulista.

Débora se diz muito feliz por abraçar o novo desafio. “Espero manter o respeito pela tradição da história dos japoneses no KKKK, da comunidade registrense e região do Vale do Ribeira à cultura do SESC que sem dúvida nenhuma será uma ampliação sócio-cultural para a cidade.

KKKK (Complexo Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha) as margens do Rio Ribeira, é um ícone de grande representação histórica. Foto: Luci Judice Yizima

KKKK (Complexo Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha) as margens do Rio Ribeira, é um ícone de grande representação histórica. Foto: Luci Judice Yizima

Para o presidente do Bunkyo de Registro, Kazuoki Fukuzawa se limita em dizer que, “o KKKK está em boas mãos, o SESC irá preservar aquilo que nós japoneses mantivemos até agora. A entidade dará continuidade e fomentará a cultura e lazer para a cidade de Registro e região”.

Kunihiko Takahashi, comerciante de Registro destaca a valorização cultural que a cidade está recebendo. “Tenho o sentimento de ganho com o SESC no lugar do nosso memorial. A entidade veio agregar cultura e esporte para a cidade e região do Vale do Ribeira que era muito carente nesse aspecto”, comemora Takahashi.

A funcionária pública, Neusa Setsuko Nisio Kobori não vê como perda a saída do Memorial da Imigração Japonesa das instalações do KKKK. “Olha, o prédio é histórico e a história ninguém apaga”, afirma. “O espaço está em boas mãos, será bem aproveitado. Vai somar ainda mais o valor da cultura, com atividades culturais e esportivas para todas as comunidades”, finaliza Kobori.

LUCI JUDICE YIZIMA

LUCI JUDICE YIZIMA

Jornalista e Fotógrafa
lucijornalismo@hotmail.com
LUCI JUDICE YIZIMA

Últimos posts por LUCI JUDICE YIZIMA (exibir todos)

    Related Post

    AGRICULTURA: FRENTE PARLAMENTAR DA AGROPECUÁRIA PA... O deputado federal Luiz Nishimori (PR-PR), coordenador de relações internacionais da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), participou no último di...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Catadora de papel   Jornais e revistas, depois de lidas, jogava-os na lixeira. Daí uma catadora pediu-me que reservasse a ela. Duas vezes por semana, passaria e...
    CIDADES/SETE BARRAS: Nilce Miashita participa de i... A Prefeita de Sete Barras (SP), Nilce Ayako Miashita, o presidente do Fundo Social de Solidariedade André Miashita e sua equipe, participaram no últim...
    FALECIMENTO:Antonio Akama morre em São Paulo aos 8... Antonio Akama era presidente da honra da Fundação Michie Akama (foto: divulgação) Faleceu nesta terça-feira (27),em São Paulo, aos 84 anos, Antoni...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *