RIO DE JANEIRO: Comunidades do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho recebem mostra ‘Do Monte Fuji ao Pão de Açúcar’

Numa iniciativa do jornal Nikkey Shimbun, estudantes de comunidades carentes do Rio de Janeiro receberam a exposição “Do Monte Fuji ao Pão de Açúcar”. Realizado em parceria com a Escola Municipal Marília de Dirceu, em Ipanema (próxima à estação General Osório do metrô) a mostra, que ficou em aberta à exposição entre os dias 27 de abril e 11 de maio, reuniu cerca de 40 fotos do acervo do Shizuoka Shimbun e teve como objetivo aproximar os dois países que sediarão as duas próximas Olimpíadas.

 

Alunos do Marilia de Dirceu com foto da Exposição sobre o Monte Fuji. Foto: Massayuki Fukasawa

Alunos do Marilia de Dirceu com foto da Exposição sobre o Monte Fuji. Foto: Massayuki Fukasawa

 

Com apoio do Instituto Cultural Brasil-Japão do Rio de Janeiro e Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, o evento contou também com uma apresentação de haicais.

 

A diretora Claudia Maria Libório Azevedo. Foto: Massayuki Fukasawa

A diretora Claudia Maria Libório Azevedo. Foto: Massayuki Fukasawa

 

Segundo o editor do Nikkey Shimbun, Masayuki Fukukasawa, aproximadamente 90% dos alunos da escola são moradores das comunidades Cantagalo e Pavão-Pavãozinho.

 

Cônsul Ken Kondo, Claudia Maria Libório e David Leal (os três primeiros a esquerda)) e colaboradores. Foto: Massayuki Fukasawa

Cônsul Ken Kondo, Claudia Maria Libório e David Leal (os três primeiros a esquerda)) e colaboradores. Foto: Massayuki Fukasawa

 

“A instituição já foi considerada problemática, mas conseguiu dar a volta por cima graças ao trabalho de educadores como a diretora Claudia Maria Libório Azevedo”, disse o jornalista, explicando que a parceria surgiu graças ao professor de História e diretor artístico David Leal, um dos idealizadores do projeto “Brasil-Japão: Conexão Bossa Nova”, apresentando em abril no Bunkyo, em São Paulo, e que inaugurou uma série de ações de intercâmbio entre a entidade e o Instituto Cultural Brasil-Japão do Rio de Janeiro.

 

Alunos da EM Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

Alunos da EM Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

 

David Leal com alunos do Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

David Leal com alunos do Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

 

Fachada da Escola Municipal Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

Fachada da Escola Municipal Marilia de Dirceu. Foto: Massayuki Fukasawa

 

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Núcleo de Estudos Tempo Literário do ICBJ
    O Encontro das Montanhas (Cantagalo, Monte Fuji e Pavão-Pavãozinho)

     

     

    Haicai, haiku, haikai nossos de cada dia!

     

    “Entre o Monte Fuji

    E Marília de Dirceu

    – Haikai Cantagalo”.

    (Bernardina Oliveira)

     

    “Marília e Dirceu

    Outono em Minas Gerais

    – Pavão, Pavãozinho. ”

    (Bernardina Oliveira)

     

    “Pátio da escola

    Tarde quente de outono

    – Cristo Redentor! ”

    (Bernardina Oliveira)

     

    “Olhar do Japão

    Monte Fuji e Cantagalo

    -Olhar carioca. ”

    (Bernardina Oliveira)

     

    “Haikai Pavãozinho,

    Pipas amarelas soltas

    – Bem-te-vi voou”

    (Bernardina Oliveira)

     

    “Luar de Ipanema

    Outono no Monte Fuji

    – Aqui de repente”

    (Bernardina Oliveira)

     

     

    “Folhas ocultas

    Um bom livro para ler

    Sabedoria. ”

    (André Miranda)

     

    “Ao raiar do Sol

    Flores de acácia

    Dias de verão. ”

    (André Miranda)

     

    “Um dia verão

    Corcovado ao Fuji

    É uma estação.”

    (André Miranda)

     

    “Manhã de outono

    Sol brilha o Corcovado

    Lua banha o Fuji”

    (André Miranda)

     

    “Sonho com montes

    Pão de açúcar ao Fuji

    Mundos opostos.”

    (André Miranda)

     

    “Pão de açúcar

    Um sonho de criança

    Peguei e Fuji.”

    (André Miranda)

     

     

    E quantos degraus

    ou quantas pedras mais hão?

    – Ossos pelejam

    (Erick Ciqueira)

     

    A neve no chão

    E o branco nas nuvens

    Rio e Nihon

    (Erick Ciqueira)

     

    Rio de Fuji –

    Moradia de deuses

    e esperanças

    (Erick Ciqueira)

     

    (Azuma Nishi / Leste e Oeste)

    (Hidari ni kaihen to / Inovações à esquerda e)

    (Migi ni dentou / tradições à direita)

    (Erick Ciqueira)

    (Futatsu yama / Duas montanhas)

    (Yume kowareta / O sonho foi destruído)

    (Yume kawatta / O sonho se transformou)

    (Erick Ciqueira)

     

     

     

    caminha a montanha

    encosta e cume serenos

    – a chuva acompanha

    (Roberto Dutra Jr.)

     

    little snail

    inch by inch, climbs

    Mount Fuji

    (Issa)

     

    pequeno caracol

    pouco a pouco, escala

    o Monte Fuji

    (tradução de Danielle Cotrim)

     

    deita-se a menina

    – no rosto uma silhueta

    do insuspeito Fuji

    (Rogerio Brugnera)

     

    Monte Fuji

    plantando bananeira

    cuia de arroz

    (Yassu Noguchi)

     

    o Fuji, inóspito

    se contradiz

    – morada do olhar

    (Yassu Noguchi)

     

    Pedra Branca

    Neve ou cal?

    Monte “Fujidio”

    (Marcos Miceli)

     

    Nas nuvens rubras

    o contorno do barômetro

    – em Cantagalo.

    (Mateus Nascimento)

     

    Subida do monte:

    a gata e o salgueiro

    na dança da lua.

    (Mateus Nascimento)

     

    Fuji brilha

    de frente a bananeira

    – uma olhada.

    (Mateus Nascimento)

     

    Há grande lua:

    olhando para o astro

    – avião passa.

    (Mateus Nascimento)

     

     

    Sansan ya

    Amai tabemono

    Satou Pan

    Três montanhas –

    Doce comida

    Pão de Açúcar

    (Peddro Paulo)

     

    Sansan ya

    Yoake ni utau

    Kantagaro

    Três montanhas –

    Canta ao amanhecer

    Cantagalo

    (Peddro Paulo)

     

    Sansan ya

    Zen’nou yama wa

    Fujisan da

    Três montanhas –

    A onipotente montanha

    o Monte Fuji é

    (Peddro Paulo)

     

    Queria eu

    escalar-te como o Fuji –

    Escarlate cerejeira

    (Peddro Paulo)

     

    Encontro dos incontráveis –

    O Monte Fuji voltou

    coberto de açúcar.

    (Peddro Paulo)

    Fogem-me as ideias

    mas encontram-se as montanhas –

    Ah, Pão de Fuji!

    (Peddro Paulo)

     

     

     

     

     

     

    Related Post

    VACINAÇÃO: Hospital Santa Cruz participa da campan... O Hospital Santa Cruz  vai ministrar no dia 9 de maio (sábado), das 9h às 17h, a vacina contra a gripe para idosos a partir dos 60 anos, pessoas com d...
    EMPRESAS: Japonesa Sompo adquire controle acionári... Do Valor Econômico   A japonesa Sompo aumentou sua participação acionária na seguradora brasileira Marítima e passou a deter o controle...
    CULTURA: Acompanhe o 1º dia do Okinawa Festival   Se depender do primeiro dia, a décima edição do Okinawa Festival tem tudo para superar as edições anteriores. Neste sábado (15), no Clube Es...
    SÃO PAULO: Haddad sanciona lei que propõe mapeamen... Considerado um “vilão que ninguém presta atenção”, a poluição sonora vem ganhando importância cada vez maior entre a população das grandes metrópoles,...

    One Comment

    1. Em Mostra “Do Monte Fuji ao Pão de Açúcar”: PARABÉNS pela realização ao JORNAL NIKKEY SHIMBUN/editor Masayuki Fukasawa e Escola Municipal Marília de Dirceu/diretora Claudia Maria Libório Azevedo, pelo apoio ao Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro/Cônsul ken Kondo e Instituto Cultural Brasil-Japão no Rio de Janeiro/David Leal de Almeida e Colaboradores.
      APLAUSOS aos autores dos Haicais!!!
      Que muitos novos eventos Brasil- Japão aconteçam!!
      Com admiração,
      Teruko

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *