SANTA CATARINA: MISSÃO AO JAPÃO FORTALECE PRESENÇA DO AGRONEGÓCIO CATARINENSE NO CENÁRIO INTERNACIONAL

A 14ª missão internacional de Santa Catarina (SC) liderada pelo governador Raimundo Colombo chegou ao fim com expectativa de ter fortalecido o agronegócio catarinense no mercado internacional e ampliado a participação dos produtos de Santa Catarina no mercado japonês.

“O momento econômico que vive o Brasil exige que tenhamos muita atenção ao cenário internacional, que estejamos atentos às oportunidades que se abrem para as exportações. O Japão é um parceiro de longa data de Santa Catarina e, com esta nova missão, além de ampliar e fortalecer essa parceria já existente, nós prospectamos novos negócios com outros mercados. Estar presente com nossos produtos no Japão é uma importante forma de chamar a atenção também de outros compradores internacionais”, avaliou o governador Colombo.

 

Comitiva de SC, liderada pelo governador Colombo, durante recepção em Aomori. Foto: Claudio Thomas / SECOM

 

“Além de ampliar mercado, as exportações para países como o Japão garantem melhor remuneração, pois os japoneses têm preferências por cortes específicos e mais nobres. E esse ganho reflete em toda a cadeia produtiva catarinense, gerando emprego e renda. Por isso, nossa atenção especial com o setor”, acrescenta Colombo.

Entre os compromissos no Japão, ganharam destaque a participação da comitiva catarinense no dia 6, em Tóquio, do seminário Oportunidades de Negócios, Parcerias e Investimentos entre Santa Catarina, Brasil e Japão, realizado na sede da Embaixada do Brasil; e no dia 7, na abertura da Foodex 2017, a maior feira de alimentos e bebidas da Ásia, realizada na província de Chiba, na região metropolitana de Tóquio.

A missão garantiu, ainda, a renovação do acordo de parceria e cooperação com os japoneses de Aomori na produção de maçã, no dia 8, na província japonesa. A cerimônia marcou os 37 anos da assinatura do convênio firmado em 1980, que estabeleceu o intercâmbio nas áreas culturais, educacionais, econômicas e industriais. Após o evento, a comitiva visitou também o Centro de Pesquisa em Cultura de Macieira, órgão criado em 1931 na cidade de Kuroishi e que hoje é referência mundial no setor. Foi graças ao trabalho de técnicos do centro que a produção de maçãs foi desenvolvida na Serra catarinense a partir da década de 1980.

Com estes intercâmbios técnicos, foi possível o incremento da qualidade e da produtividade da produção de maçãs em Santa Catarina, passando de média entre 8 e 12 toneladas por hectare registrada nos anos 1970 para a média atual que é de 50 a 60 toneladas por hectare.

 

 

 

Related Post

TÊNIS DE MESA: Liga Nipo-Brasileira encerra 2013 c...   No último dia 30 de novembro, foi realizada a festa de encerramento da Liga Nipo-Brasileira de Tênis de Mesa (10 anos), na Acrepa (Associaçã...
EMPRESAS: Niplan e Essentium se unem para expansão...   Com 22 anos de experiência o Grupo Niplan, a empresa brasileira uma referência em construção e montagens industriais se complementam aos mai...
SUMARÉ: Ryukyu Koku Matsuri Daiko, Grupo Todos Nós... O ponto alto da 8ª Semana da Cultura Japonesa de Sumaré acontece neste sábado e domingo (20 e 21), com as atrações artísticas. No sábado, das 19 às 22...
CIDADES/VALE DO RIBEIRA: Nakayama visita Sete Barr... No dia 14 de junho, Tetsuya Nakayama, 88 anos, monge que mora em Lucélia, 120 km de Marília, visitou Sete Barras após 77 anos. Ele veio ao Brasil com ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *