SANTA CATARINA: MISSÃO AO JAPÃO FORTALECE PRESENÇA DO AGRONEGÓCIO CATARINENSE NO CENÁRIO INTERNACIONAL

A 14ª missão internacional de Santa Catarina (SC) liderada pelo governador Raimundo Colombo chegou ao fim com expectativa de ter fortalecido o agronegócio catarinense no mercado internacional e ampliado a participação dos produtos de Santa Catarina no mercado japonês.

“O momento econômico que vive o Brasil exige que tenhamos muita atenção ao cenário internacional, que estejamos atentos às oportunidades que se abrem para as exportações. O Japão é um parceiro de longa data de Santa Catarina e, com esta nova missão, além de ampliar e fortalecer essa parceria já existente, nós prospectamos novos negócios com outros mercados. Estar presente com nossos produtos no Japão é uma importante forma de chamar a atenção também de outros compradores internacionais”, avaliou o governador Colombo.

 

Comitiva de SC, liderada pelo governador Colombo, durante recepção em Aomori. Foto: Claudio Thomas / SECOM

 

“Além de ampliar mercado, as exportações para países como o Japão garantem melhor remuneração, pois os japoneses têm preferências por cortes específicos e mais nobres. E esse ganho reflete em toda a cadeia produtiva catarinense, gerando emprego e renda. Por isso, nossa atenção especial com o setor”, acrescenta Colombo.

Entre os compromissos no Japão, ganharam destaque a participação da comitiva catarinense no dia 6, em Tóquio, do seminário Oportunidades de Negócios, Parcerias e Investimentos entre Santa Catarina, Brasil e Japão, realizado na sede da Embaixada do Brasil; e no dia 7, na abertura da Foodex 2017, a maior feira de alimentos e bebidas da Ásia, realizada na província de Chiba, na região metropolitana de Tóquio.

A missão garantiu, ainda, a renovação do acordo de parceria e cooperação com os japoneses de Aomori na produção de maçã, no dia 8, na província japonesa. A cerimônia marcou os 37 anos da assinatura do convênio firmado em 1980, que estabeleceu o intercâmbio nas áreas culturais, educacionais, econômicas e industriais. Após o evento, a comitiva visitou também o Centro de Pesquisa em Cultura de Macieira, órgão criado em 1931 na cidade de Kuroishi e que hoje é referência mundial no setor. Foi graças ao trabalho de técnicos do centro que a produção de maçãs foi desenvolvida na Serra catarinense a partir da década de 1980.

Com estes intercâmbios técnicos, foi possível o incremento da qualidade e da produtividade da produção de maçãs em Santa Catarina, passando de média entre 8 e 12 toneladas por hectare registrada nos anos 1970 para a média atual que é de 50 a 60 toneladas por hectare.

 

 

 

Related Post

JAPÃO: Empresa japonesa divulga prejuízo bilionári... Os principais jornais japoneses da área econômica deram destaque para o prejuízo que a Ishikawajima, também conhecida como IHI Company, divulgou no úl...
COMUNIDADE: Vereador Aurélio Nomura entrega Título...   Em cerimônia realizada na noite desta segunda-feira (16), no Plenário 1º de Maio, a Câmara Municipal de São Paulo homenageou o advogado, emp...
KARAOKÊ: Próxima parada: Brasileirão da ABRAC, em ...   Em virtude do 29º Concurso Brasileiro da Canção Japonesa que ocorrerá em Campinas, nos dias 25, 26 e 27 de julho, as regionais de todo o Bra...
COMUNIDADE: 95 anos de Imigração dos Okinawanos da...   A Associação Aza Oroku Tabaru do Brasil realizou a comemoração dos 95 anos da Imigração dos Okinawanos da Região de Aza Oroku e Aza Tabaru a...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *