SÃO PAULO-OSAKA: Câmara Municipal celebra 45 anos da assinatura do convênio de cidades-irmãs

 

Por iniciativa do vereador Aurélio Nomura (PSDB), a Câmara Municipal promoveu solenidade no dia 19 de agosto, no Salão Nobre do Palácio Anchieta, para celebrar os 45 anos da assinatura do convênio “Cidades-Irmãs São Paulo-Osaka”. Estiveram presentes o presidente da Comissão do Convênio Cidades-Irmãs São Paulo-Osaka, Raul Takaki, os vereadores de Osaka, Yoshinobu Kinoshita e Takashi Niita; o cônsul geral adjunto do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Hiroaki Sano; o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita; o presidente do Centro Brasileiro de Língua Japonesa, Katsuhide Itagaki; o vice-presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Sadao Onishi; a diretora da EMEF Cidade de Osaka, Luciana Nina; o proprietário do restaurante Yodo,  Riyuichi Mitsuoka, e diretores da Associação Osaka Naniwa Kai, além de integrantes das bandas Osaka Junior Band e Taiyo Ongakutai da BSGI (Brasil Soka Gakkai Internacional).

 

Solenidade na Câmara Municipal celebrou o 45º aniversário de cidades-irmãs São Paulo-Osaka (foto: Jiro Mochizuki)

Solenidade na Câmara Municipal celebrou o 45º aniversário de cidades-irmãs São Paulo-Osaka (foto: Jiro Mochizuki)

 

Pólos comerciais – Aurélio Nomura lembrou que São Paulo possui 32 convênios de cidades-irmãs, sendo que o acordo com a cidade de Osaka foi consolidado em 2007. “Ao longo destes 45 anos, as duas cidades vem estreitando os laços de amizade e intercâmbio nas mais diversas áreas”, destacou o vereador, acrescentando que “além dos pontos em comuns, São Paulo e Osaka são importantes pólos comerciais em ambos os países”.

 

Aurelino Nomura: durante sue discurso na Câmara Municipal (foto: Jiro Mochizuki)

Aurelino Nomura: durante sue discurso na Câmara Municipal (foto: Jiro Mochizuki)

 

Segundo Nomura, Osaka conseguiu solucionar dois problemas que, para São Paulo, “são o calcanhar de Aquiles, isto é, a despoluição dos rios Pinheiros e Tietê e um plano de mobilidade extremamente avançado. Podemos estreitar nossos laços nesse sentido”, explicou o vereador. “Nos próximos 45 anos esperamos estar muito mais próximo e quem sabe Osaka não possa ser a nossa representante no Japão assim como São Paulo pode ser a representante de Osaka no Brasil”.

 

O presidente da Comissão do Convênio Cidades-Irmãs São Paulo-Osaka, Raul Takaki, agradeceu a colaboração de todos. “Graças a ajuda de associações e entidades como o Centro Brasileiro de Língua Japonesa, a Seicho-no-Ie, a EMEF Cidade de Osaka,o Restaurante Yodo, e a BSGI foi possível a realização deste intercâmbio”, frisou Takaki.

Em seu discurso,o vereador Yoshinobu Kinoshita disse que os jovens que vieram ao Brasil, “que representam o futuro de Osaka, sentiram uma vibração muito grande na capital paulista”. “Espero que daqui 10 ou 20 anos esses jovens possam contribuir para fortalecer os laços de amizade entre as duas cidades, seja no campo pessoal sejano campo profissional”, destacou Kinoshita.

 

Overeador Yoshinobu Kinoshita recebe homenagem (foto: Jiro Mochizuki)

Overeador Yoshinobu Kinoshita recebe homenagem (foto: Jiro Mochizuki)

 

Pela primeira vez no Brasil, a banda de sopro Osaka Junior Band trouxe 28 jovens, entre 10 e 15 anos, alunos de várias escolas do nível fundamental da cidade de Osaka. Além da solenidade na Câmara Municipal de São Paulo, onde conquistaram a plateia ao apresentarem “brincadeiras antigas das crianças do Japão”, passadas de geração em geração – como o bilboquê e o pião – devidamente explicado em nos dois idiomas – e em português com acompanhamento de cartazes – a Osaka Junior Band se apresentou na Ipelândia Home, na Associação Cultural, Esportiva e Agrícola de Suzano, no Centro Brasileiro de Língua Japonesa, na Escola Cáritas Gakuen, na EMEF Cidade de Osaka e no Bunkyo.

 

Membros da Osaka Junior Band tocou o hino nacional (foto: Jiro Mochizuki)

Membros da Osaka Junior Band tocou o hino nacional (foto: Jiro Mochizuki)

 

Repercussão – Sobre a visita, a diretora da EMEF Cidade de Osaka, Luciana Nina, disse à reportagem do Jornal Nippak que foi uma experiência “muito enriquecedora”. “Apesar do tempo escasso, os alunos ficaram muito felizes. Espero que este intercâmbio se perpetue”, disse Luciana.

Ricardo Nakasone, vice-responsável da banda da BSGI no Brasil, que dividiu o palco com os jovens japoneses no Pequeno Auditório do Bunkyo, também enalteceu a vinda da Osaka Junior Band. “Foi um aprendizado muito grande pois também contamos com crianças a partir dos 6 anos nas nossas fileiras e a gente sabe a dificuldade que é. Ficamos com a qualidade musical destes jovens”, explicou Nakasone, lembrando que a banda da BSGI está presente em 56 localidades do território brasileiro com cerca de 2700 membros.

(Aldo Shiguti)

 

 

 

 

=========================================================================

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SOFTBOL/BEISEBOL: Nikkei Curitiba Campeã da 9ª Taç... Com uma vitória sobre Marília por 7 a 0, a categoria Júnior do Nikkei de Curitiba sagrou-se campeã da 9ª Taça Brasil de Sftbol Feminino Interclubes di...
HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
COMUNIDADE: Ihoshi homenageia os 60 anos do Cotia ... Um sessão solene realizada no último dia 28 no Congresso Nacional homenageou os 60 anos da imigração do Cotia Seinen no Brasil. Esse grupo instalado n...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: 100 anos do clã Yasunaga em ...   Foi celebrado no dia 20. A data exata é 10 de maio, mas a antecipação foi para aproveitar o feriado prolongado e facilitar a vinda dos que res...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *