SAÚDE: Walter Ihoshi sugere ampliação do Farmácia Popular às cidades pequenas

O deputado federal Walter Ihoshi (PSD/SP) participou, em São Paulo, do 2º Fórum a Saúde do Brasil, promovido pelo Jornal Folha de S.Paulo. Na ocasião, Ihoshi reiterou que a redução no percentual de impostos incidentes sobre os medicamentos é um dos caminhos de se levar saúde à população brasileira.

 

Walter Ihoshi participa de forum sobre saude (Foto: divulgação)

Walter Ihoshi participa de forum sobre saude (Foto: divulgação)

 

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que mais de 50% da população brasileira não têm condições de pagar pelos medicamentos que necessitam.

“Não podemos fechar os olhos para o acesso aos medicamentos, pois é muito importante para que os tratamentos de doenças tenham eficácia. Hoje todos nós sofremos com o preço elevado dos remédios, mas a população carente sofre mais, pois não conseguem comprar tudo o que precisam para lhes garantir saúde”, ressaltou Ihoshi ao falar sobre os 34% de imposto que é pago nos medicamentos quando se vai às farmácias – é o percentual mais alto do mundo.

Na média mundial os tributos sobre os remédios representam 6,3% do seu valor final.Em países como Reino Unido, Canadá, Colômbia, Suécia, Estados Unidos, México e Venezuela, a tributação sobre medicamentos é zero.

Ihoshi falouda luta que tem travado no Congresso para que os projetos de lei voltados para a desoneração dos remédios não fiquem parados por um longo período. “O que queremos é justamente buscar os projetos que estão tramitando, apoiar aqueles que colocam os medicamentos na lista da cesta básica para que possamos dar celeridade nessas matérias que são muito importantes para a nossa saúde”, pontuou.

 

Co-pagamento – Participando do painel que debateu sobre o Sistema de Co-pagamento vigente no Brasil, o deputado Ihoshi comentou sobre o programa “Farmácia Popular”, porém lamentou não haver outros programas no país para compensar os tributos à população.

O parlamentar sugeriu soluções para que o programa atenda uma gama maior de pessoas garantindo o acesso aos medicamentos. “Nós temos que buscar uma forma de ampliar justamente o número de remédios na lista do Farmácia Popular e ampliar também as redes dos pontos de vendas, sobretudo nas cidades pequenas do interior”, finalizou.

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

KARAOKÊ: 11º Taikai da Associação Okinawa de SCS r... A Associação Okinawa de São Caetano do Sul realizou no dia 31 de janeiro, em sua sede, o seu 11º Karaokê Taikai. O evento contou com a participação de...
CARNAVAL: Na Ala de Compositores da Mocidade Alegr... Se o carnaval para uns é pura brincadeira e diversão, para outros é paixão, muito trabalho e responsabilidade. É o caso do gerente financeiro, músico ...
BRASIL-JAPÃO: Médicos de Tsukuba apresentam inovaç... Cerca de 160 especialistas da área da saúde compareceram ao III Simpósio de Cooperação Científica Brasil-Japão, realizado no último dia 11 de janeiro ...
FIM DE ANO: Associação Naguisa decora Hospital San...  A Associação Naguisa esteve no último dia 19 no Hospital Santa Cruz, levando a sua já tradicional decoração de tsurus de origami elaborados pelo Depa...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *