SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Onde perfurar para o jorro da água

radies24

Conceituado jornal, neste domingo, gastou uma página para tratar do método de encontrar água – hoje, sim, precioso líquido – perfurando poços. Um método antigo, barato e eficiente. Utilizando-se de uma forquilha. Que pode ser de madeira ou de metal, em forma de um Y. Pega-se a duas varetas e aponta-se para o solo. Onde ocorrer breve vibração é o local para ser perfurado. E a água é encontrada.

 

Não acreditava nessa história. Cheguei para gerenciar agência do Banco do Brasil numa pequena cidade, próxima à fronteira de Minas, no mês de julho. Percorrendo as propriedades rurais encontrava inúmeras cabeças de animais mortos pelas estradas. Todos tinham morrido de sede. Que absurdo. Encetei uma campanha para perfurar poços semiartesianos nas propriedades. A firma contratada utilizava o tal método da forquilha. Até cheguei a experimentar. A gente sente certa força atraindo a forquilha para determinado lugar do solo.

 

====================================================================

 shigueyuki-yoshikumi

Shigueyuki Yoshikuni

 jornalista e reside em Lins, também colunista do jornal Correio de Lins, colaborador do Jornal da Colônia de Araçatuba e do Jornal das Nações de Àguas de Prata, e diretor de comunicação do Bunkyo de Lins.

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: Noites de Luz (Susumu Yamaguchi) A meia-noite alcançou-nos na subida da Rua da Consolação, em frente ao cemitério. Porém, ao contrário das histórias que nos asso...
ERIKA TAMURA: A importância da qualificação do tra...   No artigo dessa semana vou ressaltar um assunto que venho falando insistentemente, e que infelizmente, a comunidade brasileira que vive no J...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: As coisas são |...   As coisas são   Nestas paragens da zona norte São as montanhas fronteiriças Alisando o azul Enquanto o inverno da vida ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: E a Vida Continua   Neste último mês do ano, a morte tem-me deixado um tanto perturbado. Três pessoas bem chegadas, só em dezembro. Duas no mesmo dia. Duas fora...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *