SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Sinal dos Tempos

 

Um lembrete sempre reiterado no curso de jornalismo é que leve consigo sempre uma caderneta, caneta e máquina fotográfica. Por que  você não sabe quando uma ideia interessante pode surgir ou algum fato inesperado pode acontecer na sua frente.

Não tenho obedecido a essa recomendação e por isso caminho muitas vezes em cima de ovos. Quando surge alguma ideia, por exemplo, para escrever um artigo, fico pensando nela o tempo todo para não esquecê-la até que possa anotar em algum lugar. E absorto, não escuto ninguém. Alguns até me consideram mal educado por não lhe dar a atenção devida.

Hoje amanheci com leve sensação de que alguém me consultou a respeito da validade de uma procuração outorgada há bastante tempo. O pior é que não me lembro quem foi nem a resposta dada.

Recomendaram-me andar com um gravador digital que substitui com eficiência bem superior à caderneta e até, em alguns casos, a máquina fotográfica.

Vou ter que me adaptar à modernidade, quer queira ou não. Já que a memória nem sempre é confiável.

 

 

 

 

Shigueyuki Yoshikuni

 é jornalista e reside em Lins, também colunista do jornal Correio de Lins, colaborador do Jornal da Colônia de Araçatuba e do Jornal das Nações de Àguas de Prata, e diretor de comunicação do Bunkyo de Lins)

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: O futebol é o óbvio do povo   Neymar, marcação tripla (foto: divulgação)   O movimento #nãovaitercopa não vingou como era óbvio. Contra a paixão popular, não ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: BODAS DE PRATA DA ORDENAÇÃO ...   Aconteceu no dia 27, às 10 h, com celebração da Missa pelo Dom Irineu Danelon, auxiliado por seis padres e seis seminaristas, na Paróquia Sant...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Mangá, alfabeto e trajes jap...   “Um olhar à cultura japonesa” foi aberto às 9h do dia 4 de agosto e vai até o dia 11, no Museu Histórico e Arqueológico de Lins, com a prese...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: Junho, mês da imigração ja... Pois é, após ter escrito a Nipônica passada afirmando que não tinha encontrado datas marcantes de vindas ou comemorações das demais nacionalidades imi...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *