SHOGATSU: Costumes e tradições do Japão para celebrar o Ano Novo, com fé ou superstição

Kadomatsu é colocado na entrada das casas para trazer sorte (foto: divulgação)

Kadomatsu é colocado na entrada das casas para trazer sorte (foto: divulgação)

O Shogatsu (Ano Novo) é considerada a data mais importante para os japoneses. É o período em que as pessoas procuram descansar e tirar um tempo para ficar com suas famílias. Tradicionalmente, os feriados de Ano Novo eram uma época para se agradecer os deuses (kami) que zelavam pelas colheitas e também para dar as boas vindas aos espíritos dos ancestrais que protegiam as famílias.

O costume de exibir kadomatsu (decorações de galhos de pinheiros e bambus colocados nos dois lados das entradas das casas) e shime-kazari (decorações com cordões de palha) era para dar boas vindas a esses deuses e espíritos. No começo do ano, as pessoas expressavam apreciação aos deuses e espíritos dos ancestrais e rezavam por uma colheita próspera no ano novo.

Por essa razão, o feriado de Ano Novo para os japoneses é o mais importantes de todas as celebrações do ano. Muitas pessoas nessa época elaboram projetos e tomam novas decisões para o ano que se inicia.

 

Conheça alguns costumes japoneses:

 

Preparativos e Decoração

Para purificar as energias, as casas são limpas e devidamente decoradas: O kadomatsu é colocado na entrada das casas para trazer sorte aos moradores; o shimenawa é colocado no portão, na intenção de afastar os maus espíritos e receber as divindades; o kagami mochi é colocado em altares religiosos e oferecido aos deuses.

 

Kadomatsu: Ornamento feito com ramos de pinheiro (símbolo de longevidade), haste de bambu (símbolo de persistência) e galhos de ameixeira (símbolo de prosperidade).

 

Kagami Mochi: Bolinho de arroz menor em cima de outro maior. Oferenda que deve permanecer até o dia 11 de janeiro.  Simboliza a expectativa de felicidade e prosperi-

dade.

Shimenawa: Talismã feito com um pedaço de corda de palha grossa entrelaçada com tiras de papel branco. Depois são amarrados um cacho de laranja, um pedaço de alga marinha ou lagosta e folhas de samambaia.

 

Shogatsubana: Arranjos forais feitos com camélias, pinheiros e tuias (símbolos de longevidade); bambu (símbolo de força, resistência e fexibilidade)  e  crisântemos (símbolo de paz).

 

 

Rituais

Kagami Biraki: No dia 11 de janeiro, o kagami mochi é partido em vários pedaços e servido numa sopa. A repartição é feita com as mãos ou martelo, pois, por ser um amuleto, não deve ser cortado com objetos afados.

 

Joya no Kane: Cerimônia em que os templos tocam o sino 108 vezes (o último toque acontece meia-noite em ponto). Acredita-se que cada badalada corresponde a um pecado humano. É comum visitar templos nos três dias de comemoração.

 

Bonenkai e Shinenkai: Um novo ano significa vida nova, por isso é necessário resolver os problemas e esquecer os rancores do ano anterior. Para isso são realizadas confraternizações chamadas bonenkai (em dezembro) e shinenkai (após o shogatsu). O primeiro purifica o espírito e o segundo dá boas-vindas ao novo ano.

 

Namahage: Realizado no dia 15 de janeiro. Rapazes vestidos de diabos (Oni) bagunçam casas e brincam de ameaçar pessoas com tridentes. Apesar de simbolizar a maldade, em algumas ocasiões o demônio é tratado no bom sentido. Neste caso, receber a visita de um oni é sinal de felicidade.

 

Otoshidama (presentes em dinheiro para as crianças)

Durante os feriados de Ano Novo, as crianças recebem presentes especiais em dinheiro conhecidos como otoshidama, de seus pais e parentes. Dessa maneira, as crianças têm uma razão especial para aguardar com ansiedade a chegada do Ano Novo e, nos anos recentes, não é incomum para crianças no Ensino Fundamental e Médio receberam quantias de 5.000 ou 10.000 ienes por presente. Quando todos os otoshidama são reunidos, eles podem totalizar uma quantia de muitas dezenas de milhares de ienes.

 

Templos costumam ficar lotados nessa época: (foto: divulgação)

Templos costumam ficar lotados nessa época: (foto: divulgação)

 

Primeiras Experiências do Ano

Hatsumode (Primeira visita religiosa do ano): Durantes esses feriados, as famílias e amigos vão juntos realizar a primeira visita do ano, conhecida como hatsumode, aos santuários xintoístas e templos budistas. No caso dos santuários xintoístas, essas visitas eram feitas originalmente aos santuários que são conhecidos por estarem em “direção favorável” a partir da casa do visitante. O propósito dessas visitas era o de rezar por uma rica colheita e pela proteção da família e do lar no ano que estava por vir.

Nesta época, os templos comercializam alguns artigos considerados sagrados: o hamaya (uma fecha que se acredita espantar as doenças) e os omikuji (profecia escrita numa folha de papel) são os artigos mais procurados.

Pessoas rezam nos templos (foto: divulgação)

Pessoas rezam nos templos (foto: divulgação)

O Santuário Meiji Jingu em Tóquio recebe o maior número de visitantes no hatsumode (3.13 milhões em 2013), durante os três primeiros dias do ano. O número de visitantes ao Templo Naritasan Shinshoji na Província de Chiba chegou a 3 milhões, e ao Templo Kawasaki Daishi na Província de Kanagawa, 2.98 milhões, em 2013.

 

Hatsuyume (Primeiro sonho do ano): O primeiro sonho do ano deve ser muito bom, pois um pesadelo pode signifcar mau presságio. Para garantir um sonho agradável, coloca-se a imagem de um Baku (animal que come sonhos ruins) debaixo do travesseiro.

 

Kakizome (Primeira caligrafa do ano): No dia 2 de janeiro, os japoneses escrevem, com o máximo de capricho, um poema, pedido, lema, etc. que diz respeito ao novo ano que começa.

 

 

Pratos Típicos

Ozoni é um prato que atrai sorte (foto: divulgação)

Ozoni é um prato que atrai sorte (foto: divulgação)

Toshikoshi Soba: O soba é um macarrão fino e comprido que, por estas características, simboliza a longevidade.

 

Ozoni: Sopa feita com bolinho de arroz. Segundo superstições, é um prato que atrai sorte.

 

Otoso: Vinho adocicado de arroz. Acredita-se que esta bebida tem o poder de exorcizar os maus espíritos.

 

Osechi Ryori: Iguarias dispostas artisticamente dentro de um conjunto de caixas. São servidos durante os 3 primeiros dias do ano (sanganichi) e cada prato está relacionado com sorte e felicidade.

 

 

Jogos de Ano Novo

Antigamente, quase todas as crianças participavam de brincadeiras especiais de Ano Novo ao ar livre como empinar pipas, rodar piões (especialmente para meninos) e um jogo para meninas parecido com o badminton, chamado hanetsuki. Brincadeiras dentro de casa incluíam os jogos de cartas uta karuta, que testavam a rapidez em que os participantes reconheciam poemas de Hyakunin Isshu (“100 Poemas por 100 Poetas”), e um jogo de tabuleiro chamado sugoroku, similar ao gamão. Entretanto, para as crianças de hoje, cercadas por tantas formas diferentes de entretenimento, esses jogos de Ano Novo vêm perdendo a sua prévia popularidade.

 

Fukuwarai: Uma pessoa vendada deve terminar o desenho de um rosto acrescentando olhos, nariz e boca.

 

Hanetsuki: É um jogo em que são utilizadas duas raquetes de madeira (hagoita) e uma peteca (hane). Quem deixar a peteca cair no chão, recebe como punição uma pincelada de nanquim no rosto.

 

Hyakunin Isshu: É um jogo sofisticado de cartas onde são impressas, em dois montes, um conjunto de poemas famosos e as últimas 14 sílabas desses poemas. Enquanto alguém recita os poemas do conjunto 1, os outros procuram terminar os últimos versos com as cartas do conjunto 2. Vence quem apanhar mais cartas.

 

Takoage: Consiste em empinar pipas de diferentes formatos, tamanhos e cores.

 

 

Curiosidades

Kohaku Utagasen: Programa de televisão transmitido anualmente em comemoração ao Oshogatsu. Os melhores artistas do ano realizam performances espetaculares, motivados por uma disputa musical entre o time branco (shirogumi) representado pelos homens e o time vermelho (akagumi) representado pelas mulheres.

 

Nengajo (cartão de Ano Novo): Trocar cartões também é comum no Japão. O correio faz a entrega exatamente no dia primeiro (nunca antes ou depois). Jamais se deve enviar cartões após o dia 2 ou se houve caso de falecimento na família, pois tais atos são considerados falta de educação. Os cartões geralmente são estampados com o signo chinês correspondente ao novo ano ou símbolos que representem a prosperidade.

O número de nengajos enviados para o Dia de Ano Novo de 2013 foi de aproximadamente 1,9 bilhão.

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

COMUNIDADE: NOVO EMBAIXADOR DO JAPÃO, SATORU SATOH... O novo embaixador do Japão no Brasil, Satoru Satoh, que assumiu oficialmente o posto no dia 15 de novembro, esteve nesta quarta-feira (7), na capital ...
LIBERDADE: Toyo Matsuri deve atrair uma multidão n...   Dando início às festividades de final de ano, acontece nos dias 7 e 8 de dezembro, no bairro da Liberdade em São Paulo, o tradicional “Toyo ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: 10º Concurso de Integração R... Professora Mary Hassunuma com a equipe de Bauru e Lins (Foto: Shigueyuki Yoshikuni)   Realizado no dia 21 de abril, em Pereira Barreto. Os...
EDUCAÇÃO: Colóquio internacional sobre o pensament...     O Colóquio Internacional Sobre o Pensamento Oriental: Budismo e Filosofia acontecerá em novembro, nas cidades de São Paulo, Ca...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *