SILVIO SANO > NIPÔNICA: Ainda sobre o vexame!… e o futuro (?) da comunidade

Juro! Prometo que não mais retomarei o tema após esta Nipônica. E explico porque o estou fazendo agora, antes que me chamem de “bobinho” por minha insistência… rsrs.. Culpa suas, caros leitores e amigos, que retornaram emails, telefonaram e até me falaram pessoalmente sobre o tema da última. Melhor, das duas últimas, visto que ocorreu o mesmo em relação àquela anterior ao dia da eleição.

E melhor porque 100% concordaram comigo! Não porque me considere dono da verdade, mas porque escrevi apenas o óbvio, mais que ululante. Lógico que não foram apenas “assinando embaixo”… houve também acréscimos do tipo, num “copia e cola”, como esses: “Na hora de pedir as EP, todos ficam alvoroçados, mas nas urnas, uma tristeza”… “Perfeita as suas colocações. Nada acontece se as entidades nikkeis são retrógradas”… “Quem perde é a comunidade nikkei, infelizmente. Vai achatando cada vez mais”… etc.

Pois é. E o “bobinho”, acima, pra quem não entendeu, é na verdade, uma reprodução do que também falaram para mim querendo dizer que “não adianta, é perda de tempo”, conforme eu mesmo escrevi na última, dizendo que de nada adiantara aquela advertência de 2010, quando nem Ihoshi e nem Woo foram reeleitos apesar do tudo que tinham feito à comunidade.

E por que considero que não estou sendo “bobinho” agora? Porque esses retornos a mim encaminhados mostram que o nikkei sabe, sim, como estão se comportando as principais entidades, em especial o Bunkyô (SP), justificando essa condição de desagregação de que tenho falado, por culpa deles próprios… que deveriam ser os agregadores. Ou seja, que falta apenas o agente agregador.

Vejam só o que ouvi do presidente de uma entidade e de um dos diretores de outra, pessoalmente: “Se o Paulo Maluf for oficializado pelo TSE, por aquele ‘negócio’ do coeficiente eleitoral o dep. Junji Abe será alçado entre os eleitos, né”.  Não! Ainda assim, não! Mas e daí? Até porque acho que não ocorrerá (TSE livrar Maluf) devido à forte onda nacional de moralização puxada pela possibilidade de eleição de Aécio e que, acho, até influiu na postura do juiz Sérgio Moro no caso Paulo Roberto Costa. De qualquer forma, não foi nada disso que quis dizer em minhas Nipônicas. Caramba!!

O que quis dizer é que se a comunidade fosse unida nesse aspecto, os 580 mil votos a federal e os 430 mil a estadual seriam melhor utilizados de forma aos candidatos não dependerem dessas possibilidades. Foram mais de 390 mil em um e mais de 228 mil em outro, jogados fora por essa comunidade de boa formação!!  Preciso desenhar?

Par finalizar, perguntei-lhes (a esses líderes) o que fizeram nesse sentido e as respostas, semelhantes, foram de que lhes deram oportunidades para falarem em seus eventos. Sabemos que uma ou outra entidade até fizeram jantares a alguns e que o nikkei, de bom poder aquisitivo, até comparece… não bem por isso… mas porque o papo na mesa é muito mais interessante, ou divertido, do que o discurso do político. Né, não?!

E assim vai e assim… fui!

 

 

Bobinho, não sou.

Bobinho,são as lideranças

Com tudo nas mãos!

 

 

 

=====================================================================

silvio-nippak

Silvio Sano

é arquiteto, jornalista e escritor. E-mail: silvio.sano@yahoo.com

www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano

=========================================================================

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: Nihongo Mnemônico       I) Minha Família   Olá, sou Watashi Kazoku e quero te apresentar a minha família. Meu pai é Otosan e a mi...
HAICAI BRASILEIRO   O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Ma...
JORGE NAGAO: Nihongo vai e vem Tadatoshi e Setsuko, meus pais, chegaram à capital paulista, vindos de Vera Cruz, interior de São Paulo, em 1955, com 5 filhos. Depois de uma breve...
JOJOSCOPE: A Arte de Julynha Toys JULYNHA TOYS se inspira na moda urbana japonesa e na cultura pop, para produzir sua maneira eclética de se vestir. Adepta de uma linha que mistura um ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *