SILVIO SANO > NIPÔNICA: CRONOGRAMA NO PAÍS DA COPA

 

A última notícia relacionada aos estádios para a Copa do Mundo que se iniciará em junho informa que o Itaquerão, o da abertura, não será entregue pronto à FIFA. Alguém duvida? Dois meses atrás, a FIFA já anunciara a possibilidade da eliminação do Arena da Baixada, de Curitiba, da Copa, que fez com que “mágica$ pública$” fossem realizadas a fim de viabilizá-la em tempo. Parece que conseguiram. Agora, é a vez do Itaquerão.

Mas tudo isso me remeteu a um fato que testemunhei quando fiz um curso extra-curricular na Universidade de Nagoya, no Japão, quando a frequentava me locomovendo via Metrô. Como a estação mais próxima se encontrava a três ou quatro pontos de ônibus, para economizar, fazia esse trecho a pé. E por se tratar de um percurso razoável… e por quase dois anos, logicamente, pude testemunhar coisas interessantes e até ser protagonista em um momento, ao ser advertido em público, via megafone, por um guarda que me flagrou desobedecendo um sinal vermelho para pedestre. Mas isto é outra história… rsrs.

Pois é, retomando o tema desses atrasos, independentemente das causas, em nossa terrinha, isso parece até já ter se tornado banalidade. Tanto que, quando nosso trabalho depende de terceiros e elaboramos um cronograma, chega a parecer ridículo, querermos marcar data para finalização do mesmo. Por isso me vem à lembrança a construção de um prédio de escritório de sete andares que acompanhei, nesse percurso, desde o canteiro até sua inauguração. Passava todos os dias em frente. A discrição e a limpeza foram tão marcantes durante toda a obra que, se não fosse por minha afinidade, talvez não tivesse reparado nela. A explicação está, não apenas numa das características do comerciante japonês de que, verdadeiramente “o cliente sempre tem razão”, como em outra, de igual peso, que é  a do “evitar incomodar a outrem”. Isso ficou muito evidente nessa obra, pois nunca vi a calçada, em frente à obra, enlameada e nem caminhões atrapalhando o trânsito ou a circulação dos pedestres.

Foram onze meses de obra. E a construtora teve, ainda, a ousadia de colocar uma faixa anunciando a inauguração. Ano, mês e… até dia!!

Ah, fui conferir… Batata!

 

No País da Copa

Até “elefantes brancos”

Custam a nascer.

 

 

 

Silvio Sano

é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@gmail.com

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: O CAMINHO DE CADA UM “No paradoxo constante do Budô, não basta apenas trilhar o caminho, mas sim, compreende-lo para que com sabedoria possa ensina-lo a outros”   ...
MUNDO VIRTUAL: Contra o anonimato Gosto de pensar sobre fatos e direitos que possuímos no mundo virtual, partindo da legislação que já regulamenta as relações jurídicas no mundo real: ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Sumô Devo estar ficando velho. Até há poucos anos, gozava os colegas que assistiam a essa luta. Agora, estou gostando e torcendo. E perco umas horas por se...
ERIKA TAMURA: De volta à terra do sol nascente!   Cheguei no Japão!! Engraçado esse meu sentimento, mas assim que o avião pousou no Japão senti uma paz, uma tranquilidade, meu coração aca...

One Comment

  1. As vezes o atraso é tão grande que a construção torna-se obsoleta!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *