SILVIO SANO > NIPÔNICA: HIROSHI ITSUKI, pela amizade a MÁRIO IKEDA – II

Pelo que me consta, o show do cantor Hiroshi Itsuki foi coroado de sucesso e emocionou o público presente pela afirmação do próprio, às lágrimas, de que gostaria de retornar novamente, e em intervalo menor. O “pelo que me consta” fica por conta de não ter assistido ao show. Como?!

Pois é, essa sempre foi a reação dos interlocutores à afirmação de que não iria, antes, de que não fui, depois. Minha justificativa: não pagaria caro para ver um cantor que não é de meu gosto musical (?!). Até porque já tinha ido ao da primeira vez, no ginásio do Ibirapuera, quando jovem, numa época que não perdia um programa da Jovem Guarda, fã que era de Roberto Carlos! Experimente tentar me vender, agora, um ingresso a show de RC, mesmo que bem mais barato do que ao de Itsuki?

“Mas você divulgou muito o show dele nas redes sociais!”, afirmaram os que sabiam que o fiz. E o faria de novo porque sei que é idolatrado também por aqui; porque a comunidade estava carente de astros japoneses ao vivo; e, porque não pegaria bem, após volta ao mundo, encontrar um auditório vazio (?!). Este final não é tão absurdo assim. Nas reuniões iniciais para essa realização, a própria comissão organizadora também não estava tão segura. A própria afirmação do mentor, Mário Ikeda de que, “Não importa se der prejuízo, porque já ficarei satisfeito só pelo fato de poder presentear a comunidade com a vinda dele”, confirma minha isso.

Participei da primeira entrevista coletiva à imprensa ocorrida na residência de Ikeda, e de outra, com a presença também de pessoas ilustres, como André Korosue, Reimei Yoshioka, etc., num total de quase 30 pessoas, com o fito de esclarecer o confuso e atabalhoado início da venda de ingressos. Nesse dia ficou decidido que os de preços alterados vendidos até esse dia seriam honrados… como foram!!

Quanto a divulgar, já fiz o mesmo com outros, como ainda faço, se achar que é de interesse público, no caso, da comunidade. Basta ver minha página nas redes sociais. Estão lá! Quando da vinda da cantora Yuko Maki, ao tomar conhecimento, uma semana antes, de que não tinham vendidos muitos ingressos, por minha conta, resolvi divulga-la, até porque não tinha a popularidade de um Itsuki. Achei um ótimo vídeo dela pela internet, baixei-o, postei-o em minha página do Facebook, acompanhado de forte apelo. A primeira sessão lotou! Não por mérito meu, óbvio, mas também… porque muitos ingressos foram vendidos na portaria. À segunda sessão, soube que o whatsapp dos que assistiram a primeira também contribuiu muito para quase lotá-la.

Ou seja, numa comunidade carente de astros japoneses ao vivo, basta divulgar bem o evento, ainda mais em tempo de redes sociais. Ao show da banda Begin, não contribui em nada, porque a comissão organizadora muito bem o divulgou. Foi de um sucesso estrondoso!

Além disso, só em uma comunidade de poder aquisitivo razoável e que ainda respeita seus idosos é que, como no de Itsuki, se esgotariam, primeiro, os ingressos dos setores mais caros… pagos pelos filhos. Né, não?!

 

De graça, iria

Mas ao do Chico Jabuti,

Nem que me pagassem!!

 

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

     

    Related Post

    AKIRA SAITO: OTAGAI   “Uma sociedade precisa se conscientizar de que é preciso respeito mútuo, menos egoísmo e mais espírito de união, para que o convívio seja pl...
    CANTO DO BACURI > Mari Satake: De volta à barbárie... Carnaval, ainda não chegou, mas o gestor, já cumpriu uma de suas promessas. Deu de presente na data em que se comemora o aniversário da cidade. Au...
    JORGE NAGAO: Como estou dirigindo?   A pergunta está na traseira dos caminhões. Ela, obviamente, não é feita por quem está na direção do veículo mas, sim, pela direção da empres...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Ó N G Á E S H I O Crisântemo e a Espada de Ruth Benedict (foto: divulgação) Há um livro “O Crisântemo e a Espada” da antropóloga Ruth Benedict, já bem antigo, edi...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *