SILVIO SANO > NIPÔNICA: MAIS UM FERIADÃO

 

 

 

 

Olha aí, mais um feriado prolongado… e dos bons!, já que de 5ª feira, ótimo para uma boa emendada. A previsão é de que cerca de 1,7 milhão de veículos devem deixar a Capital, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). As concessionárias responsáveis pelas rodovias já dão como certo grande tráfego de veículos já a partir da noite desta quarta-feira (30), enquanto escrevo mais esta Nipônica.

E quisera, eu também, aproveitar-me desta nova oportunidade, mas não me será possível… se bem que, não tenho do que reclamar já que as anteriores, deste ano, aproveitei-as bem. De qualquer forma, esse número grandioso, citado acima, remeteu-me aos também prolongados do Japão porque, lá, dificilmente viajava nessas épocas. E olha que não era por falta de grana, não! É que tinha mesmo paura de enfrentar a super-multidão que se locomove por todo o país nessas épocas.

Imagine um país do tamanho do Estado de São Paulo, mas com população quase parecida à do nosso país e concentrada em apenas 40% dessa área devido à sua geografia montanhosa. Agora, imagine a metade (sem exagero!) dessa população se locomovendo ao mesmo tempo nessa minúscula área.

Pois é, na  verdade é quase o que  acontece mesmo em finais de semanas comuns. A explicação está no sistema trabalhista japonês, cujo grosso dos trabalhadores é admitido nas empresas de uma só vez, ou seja, em mesmas épocas, no começo de abril, início do ano fiscal daquele país. Aliás, formalmente, tudo começa ness época, inclusive aulas escolares. E pelo sistema de lá, não têm um mês de férias tirada de uma só vez, como aqui. Quando muito, uma semana, ou até duas, mas de forma justificada. Mas qual carreirista japonês teria coragem de fazer uso desse direito de forma intencional?

Por isso, os feriados longos são aguardados por todos com muita ansiedade. Daí, assim como ir à praia por aqui, muitas vezes, o percurso ao lazer acaba se tornando tão “longo” quanto o próprio. Aliás,  uma das razões que contribui para moldar a conhecida personalidade do paulistano.

Mas nós, ainda, diferentemente dos japoneses, sempre corremos o risco de, na volta, encontrarmos nossas casas arrombadas. Né, não?!

 

 

Lazer é preciso

Inda mais com feriadão!

Êpa! Desisto….

 

 

Silvio Sano

é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@gmail.com

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

ERIKA TAMURA: Quem vai acordar o Brasil? Uma vez escrevi um artigo que dizia sobre os benefícios da crise. Na época o Japão passava por uma forte crise econômica e muitos brasileiros ficaram ...
AKIRA SAITO: O ESPÍRITO DE PAZ “A verdadeira força se revela no não combate”   No Budô, a prática constante busca um estado de espírito de tamanha força que não seja necess...
ERIKA TAMURA: Escola japonesa ou escola brasileira... Moro há 20 anos no Japão, criei meus filhos no Japão, e hoje eles estudam no Brasil, e a pergunta que mais escuto é: "Qual a melhor escola? Brasileira...
CANTO DO BACURI > Mari Satake: Pitico chegou Naquela madrugada, a mãe acordou. Na realidade, ela nem havia conseguido dormir quase nada. Acordou sobressaltada. Era muito cedo ainda. Não quis inco...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *