SILVIO SANO > NIPÔNICA: O metrô e suas vantagens

Na semana passada fiz muito uso do metrô, até porque moro a 150 metros de uma estação e minhas idas foram à Liberdade e Av. Paulista. E porque metrô é mais prático… e rico, para mim.

Rico? Sim. A começar pelo passe de idoso de que já tenho direito, o que significa mais rico R$4,00 por vez. Né, não?! Mas rico também pelo que acabo observando dentro dos vagões e, bem como, de dentro para fora que me ajudam a produzir… Nipônicas!… rs. Uma das quais quando Mário e Hiro foram às compras na 25 de Março. Lembra?

Naquela, depois de ver tantos camelôs vendendo os mais variados produtos dentro do vagão que estavam, Hiro até sugeriu a Mário a permanecerem ali porque, pelo visto, bastavam ficar o dia todo no vagão para comprar o que pretendiam na “25”. E nesse dia, ainda, até cantores com violões apareceram tornando a viagem mais agradável.

Mesmo assim, não precisaria retomar o tema não fosse por um fato que… Hiro não perceberia. Não nós! (Não?)… que é o desses camelôs quase sempre trabalharem em parceria.

Pois é. Testemunhei isso por duas vezes, de forma evidente, num único dia. Na primeira, bem diante de mim. Uma garota, afobada, mal entrou no vagão, em voz alta, pediu a compra! Ou seja, se fosse desconhecida do vendedor não saberia do que se tratava. E saíram do vagão ao mesmo tempo… cada um por uma porta diferente, bem entendido.

No outro caso, desconfiei também pela rapidez do pedido de um senhor. E após receber o pagamento dele, em agradecimento, o camelô até “colocou Deus no meio”… em voz alta, lógico. Até vendeu bem, depois. Na saída, também por portas diferentes, mas o senhor saiu correndo para dar tempo de entrar no vagão seguinte… rs.

Isso tudo dentro do vagão. E de dentro para fora? Pois é, numa parada do trem, na plataforma da estação Paraíso, observei uma garotinha vestida de policial, diferentemente da linha Cosplay, de quepe, saia curtíssima e até cassetete na cintura. Muito bonita!

Por isso tudo, dependendo do olhar, utilizar-se do metrô pode ser muito compensador. Né, não?!

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

     

    Related Post

    AKIRA SAITO: A INTENÇÃO E A VONTADE O kanji (ideograma) que identifica a palavra intenção/vontade é o “SHI” e é formado pela junção de dois ideogramas diferentes, o de guerreiro “SHI” e ...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: As águas da exi...   As águas da existência Nada mais se detêm Na correnteza do tempo Um rio imenso De águas cristalinas A refletir o céu por inteiro: Os...
    SILVIA IN TOKYO: TUBARÕES EM PRAIA DE SHIZUOKA PRAIA DE YAIZU FOI FECHADA NO DIA 10 DEPOIS DE APARECIMENTO DE TUBARÕES       Dois tubarões foram vistos nadando a cerca ...
    JORGE NAGAO: Fiz publicidade noutro BB Publicicári...     Nas agências do BB, um farto material publicitário encontra-se  à disposição dos clientes. Há 15 anos, o cenário era muito dif...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *