SILVIO SANO > NIPÔNICA: Rail Pass, um direito aos imigrantes japoneses do Brasil!

Não estou muito a par da polêmica do Rail Pass que a empresa JR East Japan pretende, a partir de abril, negar aos japoneses residentes no Brasil. Mas a matéria relativa, da última edição deste JN (pag.4), de que Kenren (Federação das Províncias) e Bunkyô foram envolvidos em petições ao governo japonês e entidades relacionadas para revisão da determinação, remeteu-me a um posicionamento antigo.

O Rail Pass existe nos EUA, em países da Europa e Ásia, para atrair turistas estrangeiros e, mais precisamente, para estimulá-los à circulação interna para que conheçam melhor suas culturas, tradições e até paisagens naturais. Atitude correta, inclusive em prol da própria economia desses países.

Da mesma forma foi implantada no Japão, com a diferença de que por ter sido, historicamente, um país emigrante, por algum deslize em seu escopo, durante anos, acabou contemplando também seus patrícios residentes no exterior.

A nova determinação, excluindo-os, fez com que membros do Kenren apelassem ao próprio para que recorresse junto ao governo japonês pela alegação de que, por suas funções, tendo de viajar com certa frequência ao Japão e, lá, se deslocarem diversas vezes (?) entre Tokyo e respectivas províncias, essas idas ao país se tornarão inviáveis.

Considero frágil apenas essa alegação porque se o objeto do Rail Pass é o turista estrangeiro será fácil indeferir o pedido enviado ao Ministério de Transporte, Departamento de Turismo Japonês e JR East Japan.

Para mim, a alegação correta é a do DIREITO!! Sim… àqueles que tiveram de sair do Japão contra a vontade e, pior… por indução do próprio governo japonês à época! Ou seja, não aos “recentes” que saíram por opção própria e em plena efervescência da economia nacional que até levou o país a compor o G7.

Afirmo isso porque considero estar subentendido nas próprias razões à emigração. No início do século passado, o governo japonês pilotava uma nau à deriva! Território ínfimo, explosão demográfica e pobreza extrema! As invasões à Coréia e China não foram por razão imperialista, mas expansionista! Precisavam abrigar sua enorme população. A economia não era boa e piorou ainda mais com despesas das guerras. Sem contar promessas de recompensas aos retornados, além de… retornados. Como premiá-los? Simples: mandando-os para fora! Por isso se valeram até de propaganda enganosa.

A saída de parte da população, pois, foi um alívio ao governo japonês que, a partir daí, finalmente, pode direcionar o país ao desenvolvimento que o levou à situação atual. E devem isso também aos nossos imigrantes!

Pois é. Agora, quero ver Kenren, Bunkyô e… políticos nikkeis, cumprindo seus papéis, convencerem o governo japonês de que o Rail Pass é até pouco pelo que lhes representaram “nossos japoneses”.

Já tinha feito esse posicionamento, vinte anos atrás, em meu romance Sonhos Que De Cá Segui, ao criar um personagem japonês para dialogar com o meu, brasileiro, sobre imigração japonesa no Brasil na expectativa de que fosse traduzido ao japonês. Não tive sucesso.

Quem sabe, agora? Né, não?!

 

Falar a verdade

Entalada na garganta

Ao menos, alivia

 

 

 

Related Post

JORGE NAGAO: Que será de ti, Brasil? | SIL-BRA Que será de ti, Brasil? “O Brasil tem um enorme passado pela frente.” (Millôr Fernandes) O golpe está se consumando mas quem defende a Democracia ...
ARTIGO: Idosos e suas famílias Por Kie Kume*   Crescer e viver cultivando hábitos saudáveis, praticando exercícios físicos, num perfeito equilíbrio entre nossa mente e no...
SILVIO SANO: NIPONICA: O FUTURO DO KARAOKÊ   Minha convivência com o karaokê é recente se comparado com o início do movimento que até já o denominei como boom em meus artigos, pela enor...
MUNDO VIRTUAL: Responsabilidade por prejuízos em c... Quando se fala em mundo virtual, uma outra área onde têm havido inúmeros problemas jurídicos é aquela ligada aos caixas eletrônicos, que merecem atenç...

4 Comments

  1. Sim, manter o JR pass gratuito aos pioneiros é muito mais que o direito. Além da compensação é expressão de conhecimento e reconhecimento dos fatos históricos Mínimo de ética e respeito que o governo japonês deve manter. Abraços. Hiromi Furumoto

  2. Silvio-san! Assunto muito relevante para nossa comunidade. Para mim, a justificativa de manter o Rail Pass para os japoneses que residem fora do Japão é mais simples. Os japoneses que possuem registro de estrangeiro em outro país, ou visto permanente, não mais residem no Japão. Portanto, quando este japonês vai para o Japão, ele é um turista, ué? E não é para os turistas que o Rail Pass existe? Poderia colocar uma restrição, de por exemplo, não foi para o Japão nos últimos 10 anos, para evitar os recém-expatriados.

  3. Silvio,
    Muito bom seu artigo, do qual compartilho.
    Muitas vezes, os imigrantes japoneses aqui no Brasil são tratados melhor aqui do que no Japão.
    Temos orgulho de nossos ancestrais e nossas raízes, mas quando chegamos no Japão percebemos que muitos nos vêem de forma diferenciada.
    Li seu romance Sonhos Que De Cá Segui, muito bom por sinal, e voce já falava de muitas coisas…… Já faz vinte anos???
    Grande Abraço,
    Fabio Ota

  4. Silvio-san, não posso acreditar que, a empresa citada em seu artigo pretenda praticar tal injustiça em relação aos imigrantes japoneses residentes no Brasil. Deve estar ocorrendo algum engano por parte de quem editou tal determinação. Não é admissível que o governo japonês permita tal discriminação para com os japoneses, pelo fato de serem residentes no Brasil.
    Contudo, se de fato há essa pretensão, aqui vai o meu protesto contrário, por razões já externadas por você, em seus artigos.
    Forte abraço,
    Eiji Denda

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *