SILVIO SANO > NIPÔNICA: UM VOTO DE CONFIANÇA A HARUMI GOYA

Para contradizer algumas pessoas de que vivo “pegando no pé” do Bunkyo, começo a Nipônica com o título acima. Melhor, pra reforçar ainda mais essa inverdade relembro que, com esse mesmo título, trocando apenas a pessoa, escrevi artigo com mesmo teor, em 2005, no caso, ao prof. Kokei Uehara que tomava posse na mesma entidade. E mais, não em artigo, mas na forma de charge, em 2009 desenhei Kihatiro Kita sendo “empurrado” à mesma cadeira, subentendido que minha mão era uma das que o “empurrava”, mas como voto de confiança, claro. E, de lambuja, no ano seguinte fiz nova charge, dessa vez, para Toshio Yamao que assumia a União Paulista de Karaokê (UPK).

Ou seja, ao menos, costumo receber bem quem assume. Né, não?! Depois… Bom, aí são outros “quinhentos”, né… E vai de cada um.

A verdade é que, ainda e sempre, “boas” manchetes são as que vendem jornais, as que “marcam” na cabeça dos leitores. Assim, o “algumas pessoas” a que me refiro no primeiro parágrafo, é às que não se esquecem de minhas críticas, que considero construtivas, mas não se lembram dos elogios, como os que fiz às outras ações dessa entidade, como na área cultural, por exemplo. É sempre assim. Não dou bola, sigo adiante, gostem uns, não gostem outros.

Então, nada mais justo que recebesse o novo presidente do Bunkyo, Harumi Goya, da mesma forma, ainda mais por ser minha amiga e conhecê-la bem… acho… rs. Na verdade, não somos tão íntimos assim, mas temos uma relação que me possibilitou, quando a parabenizei, “adverti-la” de que não espere que a chame de “presidenta”!!… porque a única que assim o exigiu está levando, não uma instituição, mas um país inteiro à bancarrota!!. Ela riu e, acho, concordou. Mas sabe também que sou adepto do “amigos, amigos, negócios à parte”.

A propósito, esclareço que tenho plena ciência de que minha opinião pouco importa ao andamento de qualquer entidade, ainda mais da mais representativa (?) da comunidade, por isso, apesar das afirmações, acima, na primeira pessoa, o que se busca é apenas tentar fazer a intermediação entre as partes. Por isso sempre afirmo que meus artigos com teor crítico dificilmente sai apenas pela minha vontade ou devido apenas a um pedido para evitar a pessoalidade.

E mais, apesar da referência nominal, como nas outras vezes, o voto é a toda diretoria executiva que assume porque a tarefa que têm pela frente é descomunal, até porque seu principal objetivo, da integração, continua tão distante quanto de quando enviei aquele primeiro voto. E quem confirma isso, com propriedade, é o presidente do Conselho Deliberativo, Kiyoshi Harada, em sua mensagem na posse da nova diretoria, ao se referir ao número baixíssimo de votantes… que são associados!, ou seja, bem mais próximos da entidade do que a própria comunidade!

E como sempre sou a favor do somar, apesar de alguns duvidarem, encerro, como naquele primeiro, desejando que esta gestão, finalmente, e “com mais charme”, alcancem os objetivos desejados… pela comunidade!

 

Votos são desejos

De minha parte, sinceros.

Ainda que duvide.

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

     

    Related Post

    JORGE NAGAO: Explicando o EX EXtimada EXmeralda, Expero, com EXta carta, EXplicar porque o seu irmão EXpedito virou o meu EX. No início, eu tratava o Expedito como Sua EXcelência ...
    ERIKA TAMURA: Tatomi Minami Shogakko, a escola jap... Semana passada, fui convidada para uma palestra em uma escola na província de Yamanashi. Aceitei. Pensei que seria em uma escola brasileira, mas pa...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Por uma cabeça ... Por uma cabeça perdida   Um homem havia a muito que perdera sua cabeça procurou de um lado no lado esquerdo não havia não havia no lado...
    AKIRA SAITO: SHINNEN AKEMASHITE OMEDETOU GOZAIMASU...   “Desejar o bem ao próximo, sem pretensões, sem esperar nada em troca, apenas pelo simples fato de querer propagar o bem”     Um novo ...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *