SILVIO SANO > NIPÔNICA: XXII Paulistão de Karaokê, o melhor de todos!!

resized_niponica4-09Conforme prometi, o tema desta será o 22º Paulistão de Karaokê, realizado na cidade de Lins, na Arena de Exposições do Blue Tree Park Lins, com participação de mais de 600 cantores de todas as idades. Se bem que, com a fase Acarajé da Operação Lava Jato trazendo evidências ainda mais contundentes sobre Lula, além da prisão do marqueteiro João Santana para reforçar “meu refrão oficial” (Tu vens… tu vens… eu já escuto os teus sinais), confesso que balancei. Mas como não sou como “ele”, cumprirei a promessa… rsrs.

Na verdade, devido a problemas com o ônibus que a prefeitura local nos enviou para nossa viagem de ida, ainda lá, cheguei a pensar em focar meu papo sobre o evento apenas nesse incidente, mas como, para retorno, nos compensaram com outro muito melhor, não apenas reconsiderei como, já no meio do caminho de volta, via rede social, agradeci em nome de todos os restantes corajosos (metade dos da ida desistiu), à prefeitura de Lins pelo excelente veículo que, dessa vez, nos disponibilizava para que chegássemos bem aos nossos lares. Chegamos.

Superada essa questão, pois, vamos ao Paulistão que, em minha opinião, foi o melhor dos que assisti e pelas razões que darei, acredito até que o de todos os vinte e dois. A primeira razão foi porque já tinha considerado o do ano passado como o melhor. Explico adiante.

Pois bem, vamos às demais razões.

O tradicional congresso de jurados e representantes regionais, realizado na noite de nossa chegada, pela intensa participação dos presentes, mais do que sempre, já dando indícios de como seria o evento, até extrapolou o tempo previsto. Bom sinal.

O primeiro dia transcorreu dentro dos conformes, apesar de seu encerramento apontar atraso de… seis minutos! Em compensação, o segundo dia, mesmo com a abertura oficial, tradicional mico para atrasos, devido às autoridades “falantes”, encerrou com cinco minutos… adiantados! Méritos à comissão organizadora e apresentadores que não deixaram a peteca cair. O mesmo teria ocorrido ao último dia não fosse os contratempos imprevisíveis da premiação e grand prix,  devido ao clima festivo e à quantidade de fotos tiradas… pelos pais e torcidas. Shoganai.

E para finalizar, a razão maior: o desejo de participar por parte dos cantores! “Óbvio!”, diriam muitos… ou todos. Mas não! Desejo real, estimulado por Paulistões cada vez melhores. Daí porque citei o anterior como o melhor… até aquele ano. Assim, o cantor vai se motivando, querendo muito participar… mesmo com sacrifício, como viajar 450 km para cantar 2,5 minutos… ou cinco, se for à final; além de aumentar o número de ensaios de forma a elevar a qualidade do evento.

Pois é, antigamente, acabava-se “encaixando” até cantores ainda não capacitados. Hoje, como no do ano anterior, dava para conta-los nos dedos, além de, pelo desejo real, também se produzirem muito melhor visualmente às apresentações.

O campeão do Grand Prix desse Paulistão, pela sexta vez, foi Alexandre Hayafuji. Confira na reportagem de Célia Kataoka.

 

Bem organizado,

Cantores de qualidade

Sucesso total!

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

     

    Related Post

    LEGISLAÇÃO com FELÍCIA HARADA: Aposentadoria por I... Idosos que precisam de outra pessoa têm direito a um acréscimo de 25% na aposentadoria por invalidez. Dispõe o Art. 45 da Lei 8.213/91: “O valor...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: O Natal mudou ou mudei eu ?   Esse foi o segundo Natal que passei sozinho. Para m im, foi como outro dia qualquer. Não me senti nem um pouco melancólico nem falta da ceia...
    MEMAI: UNESP-ASSIS ABRE CONCURSO   A Universidade  Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” – UNESP está abrindo uma vaga para  Professor – assistente,  com titulação mínim...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Boneca de Madei... Quando entrou na sala, um tanto confuso, com a vitrola no canto, num amontoado de vinil, via-se nas capas a cara de Misora Hibari num sorriso. Nad...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *