SUMÔ: Sudoeste confirma favoritismo no Campeonato Brasileiro

A equipe da Sudoeste mais uma vez confirmou seu favoritismo e conquistou os títulos de campeã geral do 55º Campeonato Brasileiro e do 19º Campeonato Brasileiro Feminino de Sumô, competições realizadas nos dias 16 e 17, no Complexo Esportivo Brasil-Japão, no Bom Retiro, em São Paulo. As duas competições reuniram cerca de 350 atletas do Rio Grande do Sul, Pará, Paraná e Rio de Janeiro. De São Paulo participaram as Regionais Sudoeste, Norte, São Paulo, Nova Central e Santo Amaro.

 

Sudoeste confirma favoritismo no Campeonato Brasileiro de Sumô. Foto: Aldo Shiguti

Sudoeste confirma favoritismo no
Campeonato Brasileiro de Sumô. Foto: Aldo Shiguti

 

No masculino, a Sudoeste somou 52 pontos contra 41 da Norte, a vice-campeã. São Paulo, com 28, e Rio Grande do Sul, com 18, ficaram em terceiro e quarto lugares, respectivamente. No feminino, a equipe campeã contabilizou 81 pontos enquanto a Nova Central, que vem se consolidando como uma das grandes forças do país, ficou em segundo com 46 pontos. Norte, na terceira colocação, e Rio Grande do Sul, em quarto lugar, completaram o pódio.

Mais uma vez, o destaque ficou por conta da Nova Central, que vem conquistando espaço cada vez maior no sumô brasileiro graças ao trabalho desenvolvido pela atleta e professora de Educação Física e Pedagogia, Luciana Watanabe, idealizadora do projeto “Lutas como Forma de Educação”, que utiliza o sumô como ferramenta de educação em escolas públicas de Suzano. O projeto, que já conta com apoio da Prefeitura Municipal de Suzano e da Secretaria Municipal de Educação, para este Campeonato Brasileiro ganhou patrocínio da Akhenaton e RT Auto Elétrico Rodrigues.

 

Equipe da Sudoeste ficou em primeiro na contagem geral de pontos no masculino e no feminino. Foto: Aldo Shiguti

Equipe da Sudoeste ficou em primeiro na contagem geral de pontos no masculino e no feminino. Foto: Aldo Shiguti

 

Destaques – “Iniciamos o trabalho em 2013 e felizmente o trabalho vem crescendo e conquistando reconhecimento”, conta Watanabe, lembrando que o projeto envolve crianças a partir de seis anos de idade. “Geralmente ficamos com elas até os 12 anos”, explica Luciana, cujo esforço foi premiado através das equipes femininas, que obteve a primeira e terceira colocações na categoria Mirim além do título de vice-campeã na categoria Adulto e uma terceira colocação na categoria Infantil.

No Torneio Individual, suas alunas também fizeram bonito. Keren Hapuque foi campeã na categoria Mirim enquanto Sarah Gomes ficou em primeiro na Juvenil. E, é lógico, que a professora não ficou atrás e foi campeã na categoria Adulto Leve.

 

Rui de Sá faturou os títulos nas categorias Pesado e Absoluto. Foto: Aldo Shiguti

Rui de Sá faturou os títulos nas categorias Pesado e Absoluto. Foto: Aldo Shiguti

 

Surpresa – Também no Individual Feminino, quem subiu no lugar mais alto do pódio foi Ruth Thainá Duarte Martins, de 21 anos. Ela conquistou os títulos de campeã dos pesos Pesado e Absoluto. Detalhe: foi sua estreia em uma competição de sumô. E o mais incrível: ela treinou apenas um dia, para ser mais específico, na sexta-feira que antecedeu o Campeonato Brasileiro. “Aprendi o básico, principalmente os erros que não podia cometer, mas ainda não deu para entender os rituais direito, como o ato de jogar sal no dohyo”, esclareceu a atleta. “Adorei a luta e pretendo começar a treinar junto com o judô, que é minha paixão”, explicou Ruth, que nasceu e mora em Itapevi mas treina e compete por Jandira.

 

A campeã Ruth com os técnicos Yugo Fukushima e Felipe Ishimaru. Foto: Aldo Shiguti

A campeã Ruth com os técnicos Yugo Fukushima e Felipe Ishimaru. Foto: Aldo Shiguti

 

Surpresa – Com vários títulos no judô – arte marcial que já pratica há oito anos – Ruth Thainá foi levada ao sumô pelos técnicos Felipe Ishimaru e Yugo Fukushima. Felipe Ishimaru, que coordena um projeto social em Jandira com apoio da Prefeitura local, conta que já tinha boas referências da lutadora de judô. “Fiquei sabendo que ela estava parada em Itapevi e decidimos convidá-la para treinar em Jandira”, disse Ishimaru, que pratica sumô há mais de 15 anos.

“Foi uma surpresa. Tínhamos esperanças que ela fosse bem na categoria Pesado, mas na Absoluto sua conquista realmente foi uma surpresa porque ela enfrentou adversárias bem mais experientes”, admite Ishimaru, que terá o trabalho de “lapidar” essa nova promessa do sumô brasileiro juntamente com o técnico Yugo Fukushima.

Já no Torneio Individual Masculino quem se deu bem foi o paranaense Rui Aparecido de Sá Júnior, que sagrou-se campeão no Pesado e no Absoluto. O atleta, único representante do Paraná na competição, enfrentou pedreiras no caminho. Na semifinal dos pesos Pesados mediu forças com o experiente Willian Takahiro Higuchi e fez a final com o jovem Lucas Aburaya. Na semifinal do Absoluto, cruzou novamente com Takahiro. A decisão foi contra o campeão dos Médios, Ricardo Aoyama.

“Foi dureza porque este ano acabei treinando menos que o ano passado pois desta vez o Brasileiro não foi seletivo para o Campeonato Mundial”, justificou Rui de Sá, que está tendo um ano especial – em junho ele foi o indicado da Confederação Brasileira de Sumô para receber a homenagem do Prêmio Paulista de Esportes na modalidade sumô, evento realizado na Câmara Municipal de São Paulo, e no Campeonato Brasileiro foi escolhido para fazer o juramento dos atletas.

 

A campeã Ruth com os técnicos Yugo Fukushima e Felipe Ishimaru. Foto: Aldo Shiguti

Ricardo Aoyama (2º a partir da esq), campeão do peso Médio com Gustavvo Fragas, Flavio Kosahira e Matheus da Cruz. Foto: Aldo Shiguti

 

Balanço – “Perto dos 40 anos”, Ricardo Aoyama também era só alegria. “Todo ano penso em parar pois o corpo já não contribui, mas a vontade de lutar sempre acaba falando mais alto”, explica Aoyama, que conquistou seu terceiro título Brasileiro seguido.  Segundo ele, que já contabiliza mais de 30 anos de experiência no sumô, “agora o mais importante é manter a preparação”. “Procuro manter o físico pedalando com um grupo de ciclistas perto de onde moro”, conta Aoyama, acrescentando que, com a terceira colocação obtida no Campeonato Mundial de Hong Kong, em 2012, conquistou tudo que queria no sumô. “Já estou muito feliz”, afirma.

Para o presidente da CBS, Issao Kagohara, o balanço foi positivo. “No geral foi bom, incluindo a participação de torcedores que compareceram em grande número nos dois dias”, disse Kagohara, que anunciou a realização do Campeonato Sul-Americano nos dias 15 e 16 de outubro, também para o Ginásio de Sumô do Bom Retiro.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

    sum1

     

    Related Post

    KARATÊ: SAITO BROTHERS BUSCAM PATROCÍNIO PARA PART... Atuais campeões mundiais de Karate-do Goju-ryu na categoria Bunka-Kata-Kumite – título conquistado em 2013 no 6º Campeonato Mundial realizado na cidad...
    SOFTBOL: Marília sagra-se campeã da 12ª Taça Brasi... Com uma vitória por 7 a 3 sobre o Nikkei de Curitiba, o Nikkey de Marília conquistou o título da 12ª Taça Brasil de Softbol Feminino Interclubes Adult...
    NIPPAK PESCA: Pesca Trade Show 2017 Em sua décima primeira edição, Pesca Trade Show é a maior feira de equipamentos e turismo de pesca, camping, tiro esportivo, cutelaria, da América Lat...
    TÊNIS DE MESA/JOGOS OLÍMPICOS: ‘Convocação veio à ... Segundo a mídia, após o recorde de medalhas do Hugo Hoyama no Pan, nunca o tênis de mesa foi tão divulgado nos meios de comunicação como foi após a co...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *