SUMÔ/ESPECIAL: Técnico Yoshinobu Kuroda quer resgatar a ‘essência’ do sumô

O sumô brasileiro se prepara para duas importantes competições. A primeira acontece já neste fim de semana, na cidade de Pirapó, no Paraguai, onde será disputado o 20º Campeonato Sul-Americano. O evento faz parte das comemorações dos 55 anos de desenvolvimento da colônia. Localizada no Departamento de Itapuá, Pirapó foi fundada em 1960 pela então Nihon Shinko Kaigai Kabushiki Gaisha, atualmente conhecida como Jica (Japan International Agency Cooperation).

 

Yoshinobu Kuroda com os lutadores Wagner Yoshihiro Higuchi e Rui de Aparecido de Sá Júnior (Foto: Aldo Shiguti)

Yoshinobu Kuroda com os lutadores Wagner Yoshihiro Higuchi e Rui de Aparecido de Sá Júnior (Foto: Aldo Shiguti)

 

Fernanda Rojas (Foto: Aldo Shiguti)

Fernanda Rojas (Foto: Aldo Shiguti)

Além do Brasil, a competição deve reunir atletas da Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela e Peru. A equipe foi definida com base nos resultados dos Campeonatos Brasileiros Masculino e Feminino do ano passado e é composta por: Luciana Watanabe (Médio), Jéssica Augusto Vitorino da Rocha (Leve), Fernanda Rojas Pelegrini (Médio), Cristiane Sakashita (Médio), Ana Cláudia Gomes de Souza (Pesado), Dorotéia da Costa (Absoluto), Daniela Fátima de Oliveira Vaqueiro (Absoluto), Genilton Tibúrcio (Leve), Cristiano Mori (Leve), Ricardo Aoyama (Médio), Suleiman Oweis (Médio) e Willian Takahiro Higuchi (Pesado).

Ainda no final de agosto, nos dias 29 e 30, acontece em Osaka, no Japão, o 20º Campeonato Mundial, 11º Campeonato Mundial Feminino, 13º Campeonato Mundial Júnior 5º Campeonato Mundial Junior Feminino. Os convocados: Vitória Trajano da Silva (Juvenil Leve), Camila Fukushima Vaz (Juvenil Médio), Sarah Luiza Gomes da Silva (Juvenil Pesado), Manoel Panissa (Juvenil Leve), Yuuki Sato (Juvenil Médio), Victor Camargo Espírito Santo (Juvenil Pesado), Isamu Ramos Sato (Juvenil Absoluto), Luciana Watanabe (Adulto Leve), Fernanda Rojas Pelegrino (Adulto Médio), Ana Claudia Gomes de Souza (Adulto Pesado), Paulo Kubagawa (Adulto Leve), Rui Aparecido de Sá Junior (Adulto Pesado) e Wagner Yoshihiro Higuchi (Adulto Absoluto).

 

Ana Claudia Gomes (Foto: Aldo Shiguti)

Ana Claudia Gomes (Foto: Aldo Shiguti)

Destaque no Campeonato Brasileiro realizado nos dias 25 e 26 no Ginásio de Sumô do Conjunto Esportivo e Cultural Brasil-Japão, no Bom Retiro, em São Paulo (leia mais às páginas 9 e 12), Ana Claudia Gomes carimbou seu passaporte para as duas competições. Aos 27 anos de idade e há 12 praticando sumô, ela conta que as expectativas são as melhores possíveis. “Estamos treinando forte visando tanto o Sul-Americano como o Mundial”, explica Ana Cláudia.

Já a médio Fernanda Pelegrino Rojas admite que pretende usar a competição Sul-Americana como preparação para o Mundial, seu objetivo para este ano. “Estamos bastante confiantes pois tivemos oportunidade de treinar uma semana direto com o pessoal da seleção brasileira, o que raramente acontece”, conta Fernanda, que ficou em primeiro na sua categoria no Campeonato Brasileiro. Para ela, a experiência adquirida em duas edições do Mundial a credenciam a sonhar com o pódio. Como principais adversárias no Mundial, Fernanda aponta as representantes do Japão, Ucrânia, , Alemanha e Mongólia.

 

 

Experiência – Quem também confia na experiência são o paranaense Rui Aparecido de Sá Júnior e o paulista Wagner Yoshihiro Higuchi. Ambos estiveram em Taiwan, no ano passado. “Este ano estamos mais experientes e mais bem preparados. Estamos treinando desde a seletiva, realizada em abril aqui mesmo no Bom Retiro”, destaca Rui, que no Brasileiro deste ano conquistou pela primeira vez os títulos nas categorias pesado e absoluto.

Yoshihiro Higuchi também destaca o período de treinamento no Bom Retiro “Antes, treinávamos apenas uma vez por semana. Agora estamos treinando aos sábados e domingos, incluindo um período de concentração com treinos diários”, diz Yoshihiro, que assim como Rui de Sá aponta japoneses, russos, mongóis e ucranianos como principais adervsários na caminhada rudo ao pódio.

Para repetir a façanha de Claudio Ikemori, campeão mundial na categoria peso leve (2003) e de Fernanda Pereira da Costa, campeã na categoria pesado (2004), os brasileiros contam com a experiência do técnico e ex-lutador Fernando Yoshinobu Kuroda que passou 12 anos no Japão, onde chegou a condição de jyuryô – o primeiro estágio entre os lutadores profissionais do Japão. Segundo ele, os últimos treinos serviram para lapidar a parte técnica e trabalhar a resistência.

Para Kuroda, no entanto, o mais importante é resgatar a “essência” do sumô, onde a técnica sobressai ante o uso da força. “Trata-se de trabalhar mais os detalhes. É como se aproximar mais do sumô praticado pelos japoneses, que usa mais a velocidade”, explica Kuroda, acrescentando que nos últimos anos o sumô brasileiro perdeu um pouco desse espírito. “Precisávamos ter mais pessoas para trabalhar esse aspecto”, conta.

 

Luciana Watanabe (contra Fernanda) conquistou seu 13º título (Foto: Aldo Shiguti)

Luciana Watanabe (contra Fernanda) conquistou seu 13º título (Foto: Aldo Shiguti)

 

Trauma – A atleta Ana Claudia concorda. “Precisamos voltar a praticar os princípios do sumô, que estão sendo esquecidos pelas novas gerações. Estamos deixando de lado a base do Budô, que visa valores como disciplina e respeito em detrimento da competição”, argumenta a atleta, que também é professora de judô na cidade de Salto (SP), onde reside.

“Quando comecei a praticar sumô era totalmente diferente, havia um respeito maior. Não adianta nos preocuparmos em formamos apenas campeões porque as medalhas passam. O mais importante é o conhecimento que se adquire, pois isso, o aprendizado, a gente leva para o resto da vida”, ensina Ana Claudia para quem o sumô e o judô foram aliados importantes em sua vida.

 

Ana Claudia (e) disputará seu segundo Campeonato Mundial (Foto: Aldo Shiguti)

Ana Claudia (e) disputará seu segundo Campeonato Mundial (Foto: Aldo Shiguti)

 

Conquistas – As duas artes marciais me ajudaram a superar um trauma e a desenvolver minha autoconfiança. Devo tudo ao esporte, até mesmo minhas conquistas pessoais e profissionais”, afirma ela, que conquistou medalha de bronze no Mundial de 2006, no Japão. “Depois que voltei, ganhei um bolsa de estudo e me formei em Educação Física. O sumô abriu muitas portas para mim”, diz Ana Claudia, lembrando que com 16 anos de idade, quando chegou a pesar 135 kg – hoje está com 112kg – lutava com as meninas do adulto. “Também contei com uma boa dose de sorte pois até hoje tive excelentes professores”, garante.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

    sumo1 SUMO3 sumo2

     

    Related Post

    MOGI DAS CRUZES: Templo Budista de Mogi ganha pain... O Templo Budista Honpa Hongwanji de Mogi das Cruzes, administrado pelo reverendo Enryo Shimizu, está passando por uma revitalização. Dentro, o que cha...
    FESTIVAL YAKISOBA COM KARAOKÊ E DANÇA DE SALÃO Onde: ACE Vila Moraes (Av. do Cursino 3331, Vila Moraes) Dia 08/08/2015 Horário: 11h - Yakisoba das 11h às 16h e Karaokê e dança das 12h às 17h...
    RIO CLARO: Japoneses visitam Rio Claro em intercâm...   Uma comitiva da cidade japonesa de Kimitsu esteve nesta quinta-feira (3) em Rio Claro para celebrar o intercâmbio cultural entre os dois mun...
    RIO 2016: Poliana Okimoto e Arthur Nory conquistam... A paulista Poliana Okimoto, de 33 anos, fez história no último dia 15, em Copacabana, no Rio de Janeiro, tornando-se a brasileira mais bem colocada de...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *