TÊNIS DE MESA: A dura realidade do tênis de mesa no Brasil

Quando me perguntam nos eventos internacionais como está a modalidade no Brasil, em especial devido as Olimpíadas, precisamos falar a verdade.

Ainda não estamos preparados para organizar um evento deste porte !!!

 

Marcos Yamada: "Itaim Keiko é uma escola de campeões" (foto: Arquivo Pessoal)

Marcos Yamada: “Itaim Keiko é uma escola de campeões” (foto: Arquivo Pessoal)

 

Não temos política esportiva no país, acabamos de trocar mais uma vez o ministro dos Esportes e no tênis de mesa, nem Centro Olímpico próprio para treinamento da seleção brasileira temos.

O Chile, por exemplo, possui o CEO (Centro Esportivo Olimpico); a Argentina tem o CENARD (Centro Nacional de Alto Rendimento); o Peru conta uma área no Estádio Nacional e a Venezuela, oito Centros específicos de tênis de mesa. No Brasil dependemos da cidade de São Caetano, que cede o seu espaço para seletivas e treinamentos esporádicos da equipe nacional.

As federações dos 27 estados no Brasil lutam para tentar manter a modalidade em pé, muitas sem um escritório e sem funcionários dedicados para o desenvolvimento do esporte, nem verba para inovar o tênis de mesa da região.

Não existe uma Liga Nacional como os países que dominam este esporte, nem temos estrutura organizacional modelo para ajudar os pólos menos privilegiados.

Por outro lado temos abnegados que mesmo sem apoio oficial, conseguem manter acesa a motivação para a formação de novos atletas, técnicos e organizam eventos de qualidade para suprir as deficiências e lacunas deixadas pelos órgãos governamentais.

Em resumo os clubes e escolas que sobrevivem com a mensalidade arrecadada dos alunos e alguns pequenos patrocinadores, ainda conseguem formar atletas e assim manter uma quantidade invejável de praticantes na América Latina, como e o caso da ADR Itaim Keiko / São Jose dos Campos / Butterfly, que pela 24a vez conseguiu o Troféu Eficiência da Federação Paulista de Tênis de Mesa, órgão máximo da modalidade no estado, premio dado ao melhor clube durante a temporada.

ADR Itaim Keiko/São José dos Campos/Butterfly é considerado a fábrica de atletas que não consegue mantê-los por sobreviver das mensalidades dos atletas. Por conta disso não consegue pagar todos os atletas formados em sua sede, localizada na Rua Paracatu, próximo à estação Saúde do metrô (zona Sul de São Paulo)

Os abnegados e idealistas, Sr. Kyozo Abe e Sra Minako Takahashi, conseguiram construir uma escola de campeões e preparando os mesa-tenistas para o mundo.

Fundado em 1983, a partir de 1989 começaram os títulos:

1989 a 1999 (10 anos), 2001 a 2003 (3 anos), 2005 a 2014 (11 anos), totalizando 24 vezes.

Cerca de 250 atletas, com 14 treinadores fazem do clube Itaim uma referencia nacional em metodologia de treinamento e administração esportiva de clubes.

 

===============================================================

 

Yamada-Marcos

Eng. Marcos Yamada

Diretor Técnico do Itaim Keiko desde 1986

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: NÃO SEI   “Muitas pessoas quando não entendem de determinado assunto e mesmo assim querem expressar suas opiniões, perdem uma grande oportunidade de f...
LINS: Os netos do Mabe na semana da cultura japone...   Dan e Rafael estão expondo seus trabalhos no saguão do Blue Tree Park e darão workshops, como já fizeram nas edições anteriores. Os preços d...
AKIRA SAITO: O TREINO DE CINCO MINUTOS “Toda longa caminhada necessita de se dar o primeiro passo”   O maior empecilho hoje para a grande maioria das pessoas é sem dúvida, a falta ...
SUMÔ: Sudoeste realiza seletiva para o Campeonato ... A Uces – União Cultural e Esportiva Sudoeste – realizou no último dia 5, no dohjyo da Acenbo – Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Osas...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *