TRADIÇÃO: Especialistas em papel washi fazem palestras no Bunkyo

Acontece no próximo dia 23, quinta-feira, no Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), palestras e exposição sobre washi (papel tradicional japonês) reunindo especialistas japoneses. Os especialistas são das cidades de Kochi – famosa como “rainha dos papéis de restauro” – e de Saitama que se destaca pela produção de washi Hosokawa, papel considerado tesouro e patrimônio cultural do Japão pela Unesco.

O grupo é formado por: Hiroyoshi Chinzei (diretor-executivo da Hidakawashi Co. e especialista em conservação e restauração de papéis), Kayoko Ichinomiya (sócia proprietária da Paper One). Da cidade de Saitama, virá a artista plástica em papéis washi Satomi Tamura.

 

Teruco Kamitsuji, Cecília Suzuki e Madoka Hayashi. Foto: Aldo Shiguti

 

A comitiva, que visita o Brasil a convite da World Paper de São Paulo, importadora de washi, chega no próximo dia 14 de março para uma intensa programação que inclui Londrina (PR), Rio de Janeiro e São Paulo.

Em São Paulo, no dia 23 de março, na parte da manhã, está programada palestra e exposição no Arquivo Público de São Paulo e, a partir das 18h30, a apresentação no Bunkyo.

“Desejamos intensificar o intercâmbio cultural Brasil-Japão, destacando o washi, um produto profundamente arraigado à tradição japonesa, não só como um papel usado no mundo inteiro para a restauração, como também por suas inúmeras utilidades”, afirma Cecília Suzuki, anfitriã dos experts japoneses.

“O meu desejo é de que conhecessem um pouco mais de nosso país, e os brasileiros também pudessem se aproximar um pouco mais deste incrível universo do washi”, informa, acrescentando que Hiroyoshi Chinzei, diretor-executivo da Hidakawashi Co., em sua palestra tratará sobre a fabricação do Tengu Washi, o papel mais fino do mundo.

 

A comitiva japonesa – Hiroyoshi Chinzei, cujo bisavô foi produtor de washi na província de Kochi, é um especialista com conhecimentos amplos dessa área, envolvendo a produção, comercialização e utilização. Atualmente é o vice-presidente da empresa Hidakawashi Co., empresa que fabrica o Tengu Washi, o papel “mais fino do mundo” com 1.6g/m2. Também dedica à conservação e restauração de papéis em importantes instituições como o arquivo do Ministério das Relações Exteriores e as coleções especiais da Biblioteca Central Metropolitana de Tóquio.

A artista plástica Satomi Tamura estará expondo seus trabalhos feitos em papel washi. Formada em 1993, na Universidade de Artes Música de Tóquio, trabalhou com design de embalagem, ocasião em que começou a produzir manualmente os papéis washi, em Kochi. Desenvolveu uma técnica própria de papéis (Sukashi Mon’yo Washi) e desde 2005 trabalha com o washi Hosokawa, que é considerado tesouro e patrimônio do Japão pela Unesco.

 

 

Palestras e exposição de washi com especialistas japoneses

Data/hora: dia 23 de março de 2017, às 18h30.

Local: Bunkyo – Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – próximo da estação São Joaquim do Metrô.

Mais informações: World Paper – 3812-6812 e 3815-5622 / Bunkyo – 3208-1755

Adesão simbólica: R$ 30,00

 

 


 

O primeiro papel para restauração

 

Localizada no coração da Vila Madalena, em São Paulo, a World Paper é a única empresa que representa com exclusividade a Paper One do Japão para toda a América Latina. Isso significa: “temos todos os papéis e gramaturas necessários para restaurar qualquer documento ou livros raros”, garante Cecília Suzuki ao comentar sobre o carro-chefe da empresa.

Mas, nem sempre foi assim. Conta que, em 1995, juntamente com Lucila Inoue, abriu a World Paper para importação de papel washi voltados à embalagem, artes, convites, cartões, origami, entre outros.

Nesse meio tempo, o professor Fred Lane, restaurador, procurou-as ansioso para resolver um grande problema: “na América Latina toda não havia nenhuma folha de papel de restauro”, conta Cecília.

Mas, consultando o fornecedor japonês, levou um susto: o lote mínimo tinha de ser de 80 mil folhas. Graças à insistência do professor Lane garantindo que esse mercado era promissor e ao apoio financeiro do marido, o médico oftalmologista Hisashi Suzuki, a negociação foi efetuada.

Atualmente, além dos específicos para restauração, a World Paper oferece mais de 500 tipos de washi e, desde 2016, passou a importar os incríveis papéis de parede de mica.

(Fonte: Bunkyo)

 

 

Related Post

LAZER: Bunkyo abre inscrições para cursos de dança... A Comissão de Incremento Social do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Asistência Social), retoma suas atividades no dia 5 de fever...
LAZER: IV Noite do Havaí Beneficente A Comissão de Incremento Social do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) em parceria com a Comissão de Jovens da e...
SILVIA IN TOKYO: INICIATIVA: MÚSICA SEM FRONTEIRAS... ⇒ Texto enviado por Melissa Sanada, de Gunma       O projeto se iniciou com o intuito de unir a comunidade japonesa com...
OSASCO: 8º Japan Matsuri confirma expectativas da ... A oitava edição do Japan Matsuri, realizada nos dias 10 e 11 pela Acenbo – Associação Cultural e Nipo-Brasileira de Osasco – em sua sede esportiva, no...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *