TRADIÇÃO: Ryukyu Koku Matsuri Daiko realiza seu primeiro Workshop

Conhecido por suas apresentações em eventos da comunidade nipo-brasileira, o grupo de taiko Ryukyu Koku Matsuri Daiko realizou, no dia 30 de agosto, seu primeiro workshop de eisa, movimento artístico e cultural de okinawa em que o grupo está inserido.

 

Workshop foi realizado no Giraflor e reuniu cerca de 30 participantes, incluindo a terceira idade (Foto: divulgação)

Workshop foi realizado no Giraflor e reuniu cerca de 30 participantes, incluindo a terceira idade (Foto: divulgação)

 

O grupo fez uma breve apresentação no início do evento, introduziu um pouco da história do eisa e, em seguida, o público pôde aprender na prática um pouco da arte do taikô de okinawa.

O evento foi realizado na Vila Madalena (zona Oeste de São Paulo) e foi uma iniciativa do Giraflor Danças Circulares, empresa especializada em danças circulares, que convidou o grupo a participar de um de seus encontros e passar algumas noções do eisa aos adeptos das danças circulares.

Segundo Toshio Yonamine, ex-líder do Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil (de 2009 a 2013), o workshop atingiu as expectativas do grupo. Segundo ele, o objetivo dessa ação é ampliar ainda mais o espaço de interação do Ryukyu com seus públicos, comunidades japonesa, okinawana, e brasileira, em geral. “A ideia é semear em pessoas que não tem acesso fácil ou frequente ao grupo o interesse pela nossa cultura, através do eisa”, explica Yonamine, lembrando que nesse workshop foram 11 integrantes do Matsuri Daiko, de 8 a 26 anos, para auxiliar um grupo de quase 30 participantes, de idades variadas, incluindo muitas pessoas da terceira idade.

“Apesar da rápida experiência, acreditamos que o público pôde por meio deste workshop se interar bem com a arte do eisa através da música que nos propomos a ensinar: Nenju Kuduchi, do Rinken Band”, destacou.

 

Katyashi – “A música é muito tocada por nós em apresentações durante todo o ano, e também antes do katyashi – dança típica de Okinawa para encerramentos de eventos. Como ainda explicamos na ocasião do workshop, a música tem como tema as festas ao longo do ano e a alegria do povo de Okinawa. Embora bem agitada, todos se esforçaram muito. E o resultado foi muito surpreendente para nós, após somente uma hora de treino”, diz Yonamine, afirmando que “em Okinawa, muitas pessoas já tem essa oportunidade desde criança”. “Esperamos que assim seja aqui no Brasil com pessoas das mais variadas idades, dentro desses trabalhos que o Matsuri Daiko planeja daqui pra frente”, destaca Yonamine, explicando que o grupo Ryukyu Koku Matsuri Daiko é aberto ao ingresso de novos membros, independente da descendência, que estejam interessados não só em aprender as danças do grupo, mas que também se identifiquem com o objetivo do grupo, de preservar e difundir a cultura de Okinawa.

Segundo ele, os movimentos das coreografias exigem força e resistência física, e por isso, o Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil possui uma recomendação na faixa etária de ingresso: a partir dos seis anos até os 30 anos de idade.

 

 

 

Gratificante – Uma das idealizadoras do Giraflor, a bailarina Eliane Mizumoto aprovou a iniciativa. “A primeira edição deste workshop aconteceu em Curitiba em 2013. Em 2014, este workshop foi levado para São Paulo. Nesta proposta é oferecido um repertório de Bon Odori e transposições de coreografias do universo das danças circulares em músicas japonesas”, destaca Mizumoto, acrescentando que a parceria entre Giraflor Danças Circulares e Ryukyu Koku Matsuri Daiko é gratificante.

“Os participantes ficam encantados com a beleza do som dos odaikos e com a energia e a jovialidade do grupo. Para a surpresa de todos do curso [de danças circulares], eles foram convidados a experimentar os desafios de tocar o odaiko”, diz.

Para Eliane, oferecer este workshop é uma forma de compartilhar um pouco da cultura nipo-brasileira, com descendentes e não-descendentes. “É um espaço de troca no qual podemos sentir, dançar, cantar e tocar as nossas raízes. Ao Ryukyu Koku Matsuri Daiko, a nossa gratidão pela presença”,

 

 

 

Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil foi fundado em 1998

 

Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil foi fundado em 1998 (foto: divulgação)

Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil foi fundado em 1998 (foto: divulgação)

 

Ryukyu Koku Matsuri Daiko literalmente significa “Tambores Festivos do Reino de Ryukyu” e foi fundado em Okinawa, província ao sul do Japão, em 1982. O grupo formou-se pela união de jovens okinawanos em torno do ideal de preservar e difundir a cultura e as tradições locais por meio de manifestações artísticas usando o eisā como referência em suas coreografias.

A filial brasileira, fundada pelo sensei Naohide Urasaki desde 1998, também exerce o papel de sua matriz, levando aos membros do grupo e àqueles que assistem às apresentações um pouco daquilo que todo uchinānchu tem: a alegria, o respeito aos mais velhos, a consciência de que tudo que temos hoje é graças àqueles que nos antecederam, a beleza de nossa cultura representada não apenas pelas roupas coloridas, músicas ou coreografias, mas pelo sentimento que tudo isso nos traz.

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

GUATAPARÁ: Comunidade japonesa comemora 50 anos Há 50 anos, doze famílias vindas do Japão formaram a comunidade Mombuca, em Guatapará (SP) – a 50 km de Ribeirão Preto. Hoje, são mais de 400 japonese...
KARAOKÊ: Por dentro dos bastidores do karaokê   Nos bastidores do Karaokê, a movimentação é intensa. Antes de subir no palco, as cantoras se preparam, dos pés à cabeça, literalmente. E uma...
RELAÇÕES BILATERAIS: Nishimori embarca nesta quart... A 39ª Missão Econômica e de Amizade da Câmara do Comércio e Indústria Brasil-Japão do Paraná em parceria com o deputado federal Luiz Nishimori (PSDB-P...
EDUCAÇÃO: Colóquio internacional sobre o pensament...     O Colóquio Internacional Sobre o Pensamento Oriental: Budismo e Filosofia acontecerá em novembro, nas cidades de São Paulo, Ca...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *