VIOLÊNCIA: Frente Parlamentar de Apoio às Vítimas de Violência é lançada no Rio

A Frente Parlamentar de Apoio às Vítimas de Violência, com atuação estadual, foi lançada ontem (4) no Rio de Janeiro. O lançamento foi uma homenagem ao jornalista Tim Lopes, no aniversário dos dez anos da morte dele.

O lançamento da frente parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro contou com a participação e apoio de movimentos sociais, organizações não governamentais (ONGs) , entidades e parentes traumatizados pela violência. Estiveram presentes grupos como o Movimento Gabriela Sou da Paz e as Mães do Massacre na Escola em Realengo.

A deputada federal Keiko Ota (foto: divulgação)

 

A frente é articulada pela deputada federal Keiko Ota (PSB–SP), que teve o filho Ives Ota sequestrado e assassinado aos 8 anos de idade em agosto de 1997. A deputada é presidente, no Congresso Nacional, da Frente Parlamentar Mista em Defesa das Vítimas de Violência. Ela é ainda coordenadora da União em Defesa das Vítimas de Violência (UDVV).

“Hoje, estou aqui, com esta Frente Parlamentar em Defesa das Vítimas de Violência, porque o bandido tem todos os seus direitos garantidos e preservados, enquanto a vítima de violência só tem o direito de chorar”, diz Keiko.

Segundo a parlamentar, as famílias vítimas de violência devem receber uma ajuda financeira. “Muitas vezes a vítima de violência fica em instabilidade emocional e não consegue seguir a sua vida em frente. E também, com a regulamentação do Artigo 245 da Constituição Federal, que garante os direitos às vítimas”.

Para Keiko, o objetivo da frente é unir o Poder Público, ONGs e entidades diversas para que seja construída uma política pública que vise a combater a violência, que é muito alta no país. De acordo com a deputada, quase 100 mil pessoas são assassinadas por ano no Brasil, sendo 50 mil por arma de fogo, 30 mil por violência no trânsito e embriaguês. Os demais são vítimas de crimes como mortos a machadadas e até a pedradas. “Eu não me conformo com esses números. Nós perdoamos o assassino, aquele que nos tirou a coisa mais preciosa. Eu vejo esses números, e não consigo aceitá-los”, disse Keiko.

A frente já existe nos estados de São Paulo, Mato Grosso e do Rio Grande do Sul. A cerimônia de abertura da frente carioca teve um ato pela paz em memória de Tim Lopes, nas escadarias da Assembleia Legislativa.

 

(da Agência Brasil)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

EMPRESAS: Suntory retorna ao mercado brasileiro de...   Empresa comercializará a partir deste mês uísques importados do Japão e licores produzidos em sua fábrica no México Suntory volta ao Brasil ...
SEGUROS: Sompo, ex-Yasuda Marítima, espera crescer... 26Desde 1º de julho, a Yasuda Marítima, empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo – agora é Sompo Seguros S.A.. Tra...
COMUNIDADE: São Paulo e Paraná definem Comissões p... As comunidades nikkeis de São Paulo e Paraná, Estados que concentram o maior número de descendentes de japoneses no país, já definiram suas respectiva...
HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *