WALTER IHOSHI: Males e aprendizados de 2015

O capítulo referente ao ano de 2015 já é um dos mais marcantes na história do nosso país. Vivemos nesse período a maior crise política e econômica vivida por nós brasileiros. O momento de incertezas no campo político – mesmo com o resultado já definido nas urnas, em outubro de 2014 – desestabilizou a nossa economia que desde o início do ano não traz bons sinais.

 

Deputado Walter Ihoshi: “Apesar dos pesares, avançamos” (Foto: divulgação)

Deputado Walter Ihoshi: “Apesar dos pesares, avançamos” (Foto: divulgação)

 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos primeiros três meses de 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) registrou um decréscimo de -0,8%. No segundo trimestre, de novo a economia encolheu apresentando um resultado de -2,1%. O país entrou no que os especialistas chamam de recessão técnica. Recentemente, foram apresentados os números referentes ao terceiro trimestre. E mais uma vez queda de -1,7%.

No início do mês, o Ministério da Fazenda divulgou uma nota em que afirma que, há vários meses, o Brasil tem sido afetado por incertezas de natureza econômica e também de natureza não econômica. É uma referência à crise política e aos desdobramentos da ‘Operação Lava Jato’ no Congresso.

Mesmo o Brasil não tendo um ano promissor, a ‘Operação Lava Jato’ pode marcar um divisor de águas no nosso país.

Pela primeira vez, vimos senador sendo preso com aval do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Senado, assim como banqueiros e grandes empresários. Isso prova que, felizmente, as nossas instituições: Polícia Federal, Ministério Público e Poder Judiciário, estão trabalhando arduamente no combate à corrupção. Essa ação pulsa em nós a esperança de que a impunidade que foi alimentada no país, desde sempre, qual contribuiu para que a corrupção chegasse ao nível atual, pode ser estancada para evitar-se grandes sequelas na administração do Brasil.

Ressalto também que o ano de 2015 foi de grande importância à comunidade nipo-brasileira. Celebramos os 120 anos do Tratado de Amizade entre Brasil e Japão.

A vinda do príncipe japonês, Akishino, e da princesa Kiko, além das cerimônias realizadas nas duas Casas do Congresso brasileiro: Câmara e Senado, mostraram, mais uma vez, o respeito mútuo entre esses dois países que contribuem reciprocamente para o desenvolvimento político e econômico de ambos. Além de provar ao mundo a possibilidade de se exercer efetivamente a paz mesmo sendo povos distintos culturalmente.

Mais um ano se passou. E um outro já está breve a começar. As perspectivas que temos para adiante são de que, apesar do cenário conturbado no atual momento com os pedidos de aberturas do impeachment contra a presidente da República, Dilma Rousseff, e de cassação de mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, as coisas vão melhorar. No cenário econômico, cremos que 2016 será ainda difícil. Mas, em 2017, voltaremos a ver números positivos em nossas estatísticas.

Apesar dos pesares, avançamos. Porém, é preciso que o brasileiro perceba não apenas a corrupção como o grande mal, mas que ele também se sinta responsável pela manutenção ou pela mudança do que aí está. Assim já estaremos dando um grande passo.

 

*Walter Ihoshi, deputado federal (PSD/SP)

 

Related Post

BOAS-VINDAS: As 34 principais entidades nipo-brasi... BOAS-VINDAS – As 34 principais entidades nipo-brasileiras, lideradas pelo Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), E...
PRÓ-SAVANA: Missão liderada por Luiz Nishimori emb... No próximo dia 15, uma comitiva liderada pelo deputado federal Luiz Nishimori (PSDB-PR) estará embarcando para Moçambique para conhecer a área destina...
UNDOKAI ACE VILA MORAES – DIADEMA/SP Onde: Centro Cultural Okinawa de Diadema (Rua Sete de Setembro 1670, Diadema/SP) Dia 17/05/2015 Horário: 9h    
Japão tem homenagens para lembrar um ano de tsunam... No Japão, o domingo (11) foi marcado pelas cerimônias em homenagem às vítimas do terremoto seguido de tsunami, que devastou cidades, deixou 16 mil mor...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *