ARTIGO: O ENSINO DE LINGUA JAPONESA NO BRASIL

 

Por YUHO MOROKAWA  

(Tradução do artigo publicado em língua japonesa na revista “kakehashi” nº 20 – traduzido por ONG Tradbras)

INTRODUÇÃO

Não tive oportunidade de estudar em uma escola de língua japonesa, portanto nunca exerci a função de professor de língua japonesa, no entanto, gostaria de expressar os meus pensamentos,  por solicitação dos editores da revista “kakehashi” editada pelos professores ex-bolistas ao Japão.

Tenho inúmeras oportunidades de participar nas reuniões de professores e encerramentos de cursos, onde tenho citado que a profissão de professor é muito difícil ao mesmo tempo importantíssimo na sociedade. Para formação do homem é indiscutível que o fator mais importante é a educação oferecida no berço familiar e em segundo lugar a educação e orientações dados pelos professores escolares.

Tive a oportunidade de trabalhar durante dezesseis anos na empresa Matsushita Eletric, hoje Panasonic, quando conscientizava os funcionários de que o objetivo da empresa é produzir e vender aparelhos domésticos de alta qualidade, útil a toda sociedade, consequentemente cada funcionário também estaria participando com o seu trabalho nesta empreitada, servindo ao bem da sociedade. Produzir produtos de alta qualidade útil à vida humana é muito importante, no entanto, a profissão de professor que tem o objetivo a formação do homem também é de suma importância e tarefa ainda mais difícil. O professor pode oferecer às crianças amplas visões, tais como, grandes homens conquistadores de prêmio Nobel ou homens humildes que possam oferecer paz à sociedade.

O Brasil é um país imenso e rico em recursos naturais más muitos ainda vivem em condições de vidas precárias. Muitas pessoas são indignas e existem muitas fraudes administrativas. Acreditamos que a educação, a formação de homens dignos é o trabalho mais importante neste país.

O Japão é um país com história milenar, onde foi criado ao longo dos tempos, um povo com modo peculiar de viver e a sua filosofia de vida comunitária pode ser útil na formação de cidadão brasileiro. Portanto, acreditamos que a função do Centro Brasileiro de Língua Japonesa e os trabalhos dos professores de língua japonesa possuem uma missão relevante para ajudar a formação do povo brasileiro.

 

A HISTÓRIA E A CULTURA JAPONESA

O Japão é um país dos meus ascendentes, portanto, procuro acompanhar os noticiários e assimilar alguns conhecimentos através de jornais e televisão ou ler algumas revistas e livros referentes à formação ética e moral do povo japonês.

Não sou especialista no assunto, más, gostaria de tecer o meu ponto de vista sobre o Japão e japoneses, em poucas palavras. Todo ser vivo, no decorrer dos longos anos, tem a tendência de se transformar, adaptando-se ao meio ambiente local. Os japoneses viveram isolados do resto do mundo, cercado por oceanos, durante milênios, onde formou a sua cultura e seu modo de viver, o seu modo de pensar e modo de agir individualmente ou  em comunidade.

Os japoneses conseguiram sobreviver e desenvolver numa ilha cercado de oceanos, com montanhas e rios, dentro de um clima rígido, frio no inverno e quente no verão, e outras intempéries tais como o vendaval, tufão e terremotos.  Para sobreviver em pequena área cultivável e passar o rigoroso inverno, houve a necessidade de se ajudar uns aos outros, criando o espírito cooperativo. Proteger a família, valorizar os vizinhos, formar comunidade e prestar serviços ao país, assim nasceu a cultura milenar japonesa.

Os japoneses é um povo que gostam e cuidam da natureza, agradecem pelos produtos das florestas, agradecem pelos produtos dos mares. Os japoneses adoram o Sol, a Lua e as Estrelas, as águas correntes e as nuvens que se movem são transformadas em poesias, as belezas das flores, os gorjeios dos pássaros e os ninar dos bichinhos, tudo são percebidos e capitados para serem apresentados em vários tipos de poemas. Enfim, os japoneses é um povo que vivem sentindo e amando a natureza.

A população dos “isseis” vindo do Japão está diminuindo muito atualmente, aquém de um por cento da população brasileira, no entanto, o número de vários tipos de poesias, “shi”, “haiku”, “tanka”, publicados semanalmente nos jornais são muito numerosos, demonstrando o alto nível cultural e a sensibilidade dos japoneses. Os japoneses são considerados trabalhadores e confiáveis. Acreditamos que os ensinamentos do budismo largamente divulgados e praticados e os ensinamentos dos “nobres samurais”, denominado “bushidoo”, teve uma grande influência na formação dos pensamentos e modo de viver dos japoneses. Assim, naturalmente os japoneses nascidos e educados no Japão, pensam e agem de forma peculiar, como foi criado e educado no seu crescimento.

Existem muitos ensinamentos dos “isseis” japoneses que são úteis para nós brasileiros, principalmente na parte ética, moral e social que podem trazer benefícios na formação de cidadão brasileiro. Muitos são os legados dos “isseis” que nós descendentes devem ser preservados e transmitidos aos nossos descendentes, isto seria a verdadeira missão de nós “nisseis” ou dos “nikkeis”. Não sou nenhum especialista para descrever sobre a cultura japonesa, entretanto, os ensinamentos simples adotados na vida cotidiana pelos nossos pais “isseis” gostaria que fossem lembrados pelas nossas crianças.

No Brasil temos o ditado “a árvore que nasceu torta cresce torta”, dando-nos o conselho de que os homens devem ser educados no berço ou na infância, pois se torna muito difícil endireitar quando se torna adulto.  Muitos leitores irão zombar de mim, dizendo que são ensinamentos corriqueiros que já cansamos de ouvir mil vezes, porem vou repetir alguns deles.

 

OS LEGADOS QUE OS ‘ISSEIS’ NÓS DEIXARAM

Meu pai nascido na província de Ibaraki, Japão e minha mãe na província de Nagano, vieram independentemente ao Brasil, se conheceram e casaram e tiveram nove filhos e eu nasci como segundo filho. Fui criado no município de Mirandópolis, bairro de Primeira Aliança, onde frequentei o primário, andando cinco quilômetros diariamente. Muito pobre, a casa era feito de barro e não existia eletricidade, mas à luz de lamparina, ouvia falar do Japão e lia muitos livros emprestados. Entre muitos lembro-me da coletânea para jovens, denominada “sekai-meisaku zenshuu”, O pequeno príncipe, Dom Quixote, O menino lobo, A menina do Alpes, Biografia de Edison, Gandy, Washington, Lincon, General Nogui, Hideyo Noguti, magazine “shonenn-kurabu” e outros.

Não pude frequentar escola de língua japonesa, mas, as leituras feitas pelos meus pais ajudaram no desenvolvimento da minha pessoa. Até hoje gosto de ler por estes motivos.  Acho que é importantíssimo ouvir e ler livros na infância, mas hoje infelizmente, às crianças tem seus tempos tomados na televisão e brinquedos eletrônicos, não havendo tempo para leitura. Há um  ditado “ O espírito formado até os três anos perdura até aos cem anos”, os ensinamentos recebidos pelos pais na infância nunca será esquecida a vida inteira. A seguir, * frases que os pais incutiram nas nossas mentes.

 

“NUNCA DIGA “MENTIRA” A NINGUÉM”

*Um indivíduo pode esconder o seu corpo temporariamente, mas desde que esteja vivo por longo tempo, um dia será descoberto por alguém, assim como, a mentira também sempre será descoberta.*

Devemos criar pessoas que nunca mentem ou pessoas que não enganam os outros.

 

“NUNCA ROUBEM QUALQUER COISA DOS OUTROS”

*Em qualquer ocasião, em qualquer lugar, a vista de alguém ou sem ser visto por ninguém, nunca se aposse coisas dos outros sem falar nada, e se roubar pensando que ninguém está vendo, Deus estará vendo do céu e será castigado.*

No Brasil existem muitas pessoas que roubam. Gostaríamos de criar imagem de que os nikkeis não roubam, não matam e  não praticam atos indignos.

 

“ CUMPRIMENTEM AS PESSOAS QUE ENCONTRAREM’

*Quando encontrar com pessoas conhecidas ou não conhecidas no caminho, principalmente com as pessoas de maior idade, velhinhos e velhinhas, tome iniciativa para cumprimentá-los, dizendo em voz alta, bom dia ou boa tarde*

Atualmente a Associação “Rinri” tem divulgado que os cumprimentos é a corrente de ouro que interligam as pessoas.

 

“SEMPRE MANIFESTE O SENTIMENTO DE GRATIDÃO”

*Diga sempre, em voz alto,“muito obrigado”, quando ganhar qualquer objeto e quando receber ajuda de alguém. E quando crescer deem algo aos necessitados e tentem ajudá-los*

Os japoneses tem o costume de agradecer os pequenos atos recebidos, não esquecendo a bondade dos outros. Recentemente participei na comemoração do 25º  Aniversário de Fundação do Ensino de Língua Japonesa em Araçatuba, posteriormente recebi uma carta de agradecimento, denominado “reijou” e fiquei muito contente.

 

“GAMBARINASAI = ESFORCE-SE”

GAMABARINASAI é uma palavra utilizada por todos os japoneses, constantemente, em muitas ocasiões, dando incentivo ou encorajando para enfrentar as dificuldades, cujo significado é ESFORCE-SE, DEDIQUE-SE.

* Pequenos trabalhos feitos com dedicação e perseverança um dia terá grande resultado. Suporte-se, pelo menos três anos, mesmo que estiver em cima de uma pedra ou, uma longa viagem começa de um paço a paço.”

 

“GAMAN-SHINASAI = AGUENTE-SE”

*Se és homem, não chore com uma mordida de formiga ou uma picada de abelha. Se chorar, os que estão vendo irá chamar de menino chorão, “fraquinho”. Ultimamente avistei um menino aparentemente com mais de seis anos, gritando e chorando ao tomar uma vacina. Menino chorão que não recebeu educação para enfrentar pequenas dores ou dificuldades.

Devemos criar jovens corajosos e perseverantes para enfrentar os problemas sociais.

 

 “ TORNE-SE UMA PESSOA QUE NÃO ATRAPALHE A VIDA DOS ALHEIOS’

*HITO-NI MEIWAKU WO KAKENAI HITO-NI NARINASAI, significa, seja uma pessoa que não dê trabalho aos outros, ou não faça atos prejudiciais aos outros. Na rua é comum ver pessoas com o seu veículo estacionado em dupla e batendo papo, pessoas conversando em grupo impedindo a passagem do pedestre, varre a frente de sua casa e amontoa o lixo na frente da casa do vizinho, tudo é feito naturalmente sem pensar que aqueles atos estão prejudicando os seus próximos. Sentimos muito a falta de educação comunitária. Os japoneses agem, pensando antes, de forma que não venham prejudicar os outros.

 

“NUNCA SE FAÇA ATOS VERGONHOSOS “

*HADI WO KAKU YOUNA KOTOWA ZETTAI-NI SHINAI KOTO, significa, não façam atos vergonhosos, pois, se praticarem atos vergonhosos ou atos ruins, prejudiciais à sociedade, quem toma vergonha são, Papai, Mamãe e Irmãos. Meus pais ensinaram que a honra familiar dos ascendentes devem ser preservadas.

 

“NUNCA SE OPRIMA OS MAIS FRACOS”

“YOWAIMONO IDIME WA SHINAI KOTO” significa, não oprima os mais fracos. * Vocês podem brigar com os mais fortes, más não podem brigar com os mais fracos, principalmente contra as mulheres. Ensinaram que devem distinguir o bom caminho e o mau caminho e viver com coragem.

 

“NÃO FAÇAM DESPERDÍCIOS”

“MOTTAINAI KOTO-WA SHITE IKEMASSEM” significa, não faça nenhum tipo de desperdício. *Principalmente os alimentos, nunca devem jogar as sobras, mas sim preservados e consumidos com gratidão. Há pessoas que carecem de um grão de arroz, é preciso guardar para passar o inverno e as opulências devem ser evitadas para quando ficar velho possam viver sem  ajuda dos alheios. Muitos desperdícios são vistas na sociedade brasileira, principalmente, alimentos e água.

Nossos Pais “isseis”, transmitiram muitos outros ensinamentos úteis à nossa vida e nós nisseis, temos a missão de transmitir os legados dos imigrantes japoneses aos nossos descendentes, tudo aquilo que é útil ao desenvolvimento social brasileiro.

 

 

RAIO X

 

YUHO MOROKAWA

Nasceu em 1941, segundo filho entre 9 irmãos, do pai vindo de Ibaraki do Japão e mãe de Nagano e passou sua infância na 1º Aliança, município de Mirandópolis, estado de São Paulo. A família era pobre, começou a trabalhar ainda pequeno, quando tinha 7 a 8 anos, na ida para escola carregava verduras no trajeto de 5 quilômetros para vender em 1º Aliança, onde formou o primário em 1952. Em 1955 a família mudou para Estado de Paraná, Uraí, onde trabalhou como meieiro de café. Em 1957 resolveu estudar na Escola Estadual Agrícola de Presidente Prudente (gratuita). Na hora de folga, plantava verduras e vendiam na feira, aos domingos em Presidente Prudente. Comprou máquina de cortar cabelo e cortava cabelo dos colegas para ganhar dinheirinho. Entrou no movimento do 4-H Clube do Brasil e no concurso de projetos conquistou o 1º lugar no concurso nacional, com pesquisa de milho e em 1960 foi escolhido para ir ao Japão como representante do Brasil no programa de intercâmbio, onde ficou um ano, percorrendo de Kagoshima a Hokaido. Durante a estadia, lembra que convidado para jantar pelo Sr. Konosuke Matsushita, fundador da Panasonic, presidente do 4-H Clube do Japão. Ficou impressionado com simplicidade do Sr. Matsushita, perguntando como era feita o cultivo de café. Em 1972 visitou o 4H Club Fondation, nos Estados Unidos, durante 8 meses. Trabalhou entre 1962 a 1973 no escritório do 4-H Clube do Brasil. Desde 1973, trabalhou 16 anos na Panasonic na função de Gerente. Após, trabalhou 10 anos na H.Stern Joalherias, supervisor de vendas, responsável dos japoneses em São Paulo, quando visitara as 300 empresas japonesas. Formado em Administração de Empresa pela PUC, foi diretor da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e atual membro do conselho deliberativo. Atuou 16 anos na diretoria do Centro Brasileiro de Língua Japonesa e atual diretor vice-presidente.

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

ESPETÁCULO: Fukuda Cello Ensemble se apresenta no ... Um dos grupos de formação do Instituto Fukuda, a Fukuda Cello Ensemble (FCE) apresenta neste domingo (28), às 11 horas, concerto no Auditório Masp Uni...
SENTENÇA: Caso Patrícia Fujimoto termina após 10 a... O caso da brasileira acusada de provocar um acidente automobilístico no Japão que acabou causando a morte de uma criança japonesa de apenas 2 anos de ...
COMUNIDADE: Jantar e lançamento de livro marcam in... O Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – deu início às comemorações do seu 60º aniversário de fundação com a real...
TURISMO: Famtrip Diamond Princess desembarca em Yo...   No último dia 31 de agosto os agentes de viagens que estão navegando no Diamond Princess desembarcaram em Yokohama para a última etapa da viag...

2 Comments

  1. Eu adoraria aprender a lingua japonesa..tenha uma certa admiração e tb curiosidade quando vou a lugares aonde se encontram japoneses..realmente adoraria aprender..sou brasileira mas admiro demais a cultura e a lingua japonesa.

    • Realmente a lingua japonesa não fácil, entetanto quando começa a ententer a escrita “kandi” ideograms mais avançada se torna muitíssimo interessante. No Centro Brasileiro de Lingua Japonesa – maeriais didáticos pode encontrar diversos livros para principiantes e lista de escolas.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *