BAIRRO ORIENTAL: Diretor do Ilume pede mobilização da comunidade para evitar tráfego de veículos de grande porte na Liberdade

Considerado uma das principais causas das constantes quebras de luminárias nas ruas do Bairro da Liberdade, o tráfego de caminhões baús e de ônibus de dois andares (turismo) pode ser contornado caso representantes da comunidade nikkei se mobilize. A informação foi dada ontem à noite (segunda-feira) pelo diretor de Divisão de Materiais do Ilume (Departamento de Iluminação Pública), Araldo Castilho durante reunião com representantes da comunidade na sede da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade).

Estiveram presentes o superintendente da Associação Comercial de São Paulo – Distrital Centro, José Alarico Rebouças; o presidente da Acal, Hirofumi Ikesaki; o presidente de honra do Instituto Paulo Kobayashi, Victor Kobayashi; o diretor administrativo do Hospital Santa Cruz e membro do Conselho Deliberativo do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Nagato Hara; e o assessor parlamentar Marcelo Hideshima, entre outros.

 

Seiti Sacay, Akio Ogawa, José Alarico Rebouças, Victor Kobayashi, Araldo Castilho, Hirofumi Ikezaki e Nagato Hara (foto: Aldo Shiguti)

 

Respondendo a uma questão levantada pelo Jornal Nippak, único veículo de comunicação presente ao evento, Castilho disse que não cabe ao Ilume fiscalizar nem proibir o tráfego de veículos de grande porte que circulam pelas vias danificando as luminárias. Ressaltou, no entanto, que “se a comunidade se mobilizar”, a questão pode ser debatida. “Nossa função é cuidar da iluminação pública”, ponderou.

O encontro desta segunda-feira serviu também para que Castilho “oficializasse” a remodelação da iluminação pública. Conforme antecipou o Jornal Nippak, nesta primeira etapa serão trocados 100 postes e 300 lâmpadas, além dos globos danificados. Castilho informou que a manutenção já teve início e estão sendo trocados “de um a dois postes por madrugada”. Ele destacou que outros 100 postes – num total de 420 – já foram encomendados. Castilho, porém, preferiu não informar quando as obras terminarão.

Ele explicou que esta é a primeira grande manutenção das luminárias realizada no Bairro oriental, considerado um dos principais cartões postais da cidade. “Em 2008, por ocasião das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, foram feitos reparos nos principais corredores da Liberdade”, disse Castilho, os postes têm vida útil de 30 anos. Os que estão sendo substituídos, conta, devem ir para leilão, como peças de sucata, ou reaproveitados para iluminar praças e jardins.

 

O diretor da Divisão de Materiais do Ilume fala durante encontro com comerciantes na Acal (foto: Aldo Shiguti)

 

Identidade visual – Castilho afirmou que uma das preocupações do Ilume é manter as características orientais do bairro. As unidades ornamentais da Liberdade, dotadas de lâmpadas com tecnologia de vapor de sódio, serão substituídas por vapor metálico, ou seja, as lâmpadas amarelas serão substituídas pelas brancas, o que representa eficiência quanto ao consumo de energia e à possibilidade de reprodução de cores, enfatizando, assim as características do bairro oriental. “A Liberdade foi um dos primeiros bairros de São Paulo a ter uma identidade visual na iluminação. São luminárias da década de 70, difíceis de fazer, não tinha em lojas nem como comprar no mercado ou fazer licitação”, disse, lembrando que “engana quem pensa que é só troca de lâmpadas”.

“A cidade de São Paulo tem cerca de 550 mil pontos de luz e por mês são efetuadas 10 mil trocas de lâmpadas. O ideal seria fazer algo próximo à Avenida Paulista, que possui um projeto único. A Liberdade também terá um projeto único visando não só a valorização do espaço público como também destacar a identidade visual e proporcionar a sensação de segurança”, disse Castilho, explicando que o objetivo é “melhorar um pouco a vida noturna dos paulistanos”.

 

Conquista – Autor da emenda no valor de R$ 250 mil aprovada durante sua passagem na Câmara Municipal – quando assumiu mandato de um mês, em julho de 2011 – e que beneficiou o Programa de Eficientização da Iluminação Pública do Ilume visando a melhoria na qualidade da iluminação pública no Bairro da Liberdade, da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, da Avenida Cursino (zona Sul) e da Vila Madalena (zona Oeste), Victor Kobayashi, disse que atendeu uma reivindicação da Associação Comercial de São Paulo – Distrital Centro e da Acal. “Foi uma conquista para todos nós”, enfatizou.

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

COMUNIDADE: Okinawa Festival inicia contagem regre... Se os admiradores da cultura japonesa, em especial os moradores da zona Leste da capital paulista, já aguardavam ansiosos a proximidade do Okinawa Fes...
COMUNIDADE: Com workshops e oficinas, 12º Okinawa ...   A Associação Okinawa de Vila Carrão, em conjunto com a Associação Okinawa Kenjin do Brasil e o Centro Cultural Okinawa do Brasil, realizam n...
COMUNIDADE: Cerimônia marca os 50 anos da bolsa do... Para comemorar o “Cinquentenário da Bolsa do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão para Líderes Nikkeis da América Latina”, a Associação Brasi...
BAIRRO ORIENTAL: Prefeitura define prazos para tér...   Acostumado a receber grandes acontecimentos da comunidade nipo-brasileira e autoridades japonesas, o Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultur...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *