COPA DO MUNDO: ‘Na minha época, os jogadores japoneses tinham que dar expediente nas fábricas’, diz Wagner Lopes

 

A Seleção Japonesa, que deve desembarcar no país no próximo dia 7 para disputar sua quinta Copa do Mundo consecutiva, escolheu a cidade de Itu (SP) para finalizar sua preparação. A estreia acontece no dia 14 (uma segunda-feira), contra a Costa do Marfim, no Recife. A segunda partida pela fase de Grupos será no dia 19, diante da Grécia,em Natal. O Japãoencerra sua participação na primeira fase contra a Colômbia, no dia 24,em Cuiabá. Peloregulamento da Fifa, fará um jogo-treino aberto em Sorocaba.

Com a experiência de quem defendeu a Seleção Japonesa na Copa de 1998, o brasileiro naturalizado japonês Wagner Lopes afirma que o desgaste físico é justamente uma das preocupações do técnico italiano Alberto Zaccheroni que comandará a seleção nipônica. “Os locais dos jogos são muito distantes e os japoneses não estão acostumados com isso. Acredito que as longas viagens serão ruins até mesmo para os brasileiros”, disse Lopes em entrevista ao Jornal Nippak.

 

Wagner Lopes será um dos homenageados com o Prêmio Paulista de Esportes (foto: Fernando Ribeiro / divulgação)

 

Carreira – Lopes iniciou sua carreira profissional em 1985, no São Paulo. No mesmo ano, sagrou-se campeão Paulista e, no ano seguinte, conquistou o Campeonato Brasileiro. A transferência para o futebol japonês ocorreu em 1987. “Joguei no domingo contra o Corinthians e na segunda-feira já embarquei para o Japão contratado pelo Yokohama Marinos”, lembra Lopes, afirmando que seus planos era permanecer por apenas uma temporada e retornar ao Brasil.

“Mas a identificação foi tão grande que acabei ficando”, recorda. Somente em Yokohama foram três anos. Depois se transferiu para o Kashiwa Reysol, onde ficou cinco temporadas. Passou ainda pelo Honda (1995-1996), Bellmare Hiratsuka (1997-1998), Nagoya Grampus (1999-2000) e FC Tokyo (2001) até pendurar as chuteiras no Avispa, em 2002.

No total, Wagner Lopes ficou 17 anos no futebol japonês. Uma época em que a J-League ainda estava engatinhando. “No início, ainda peguei a fase em que os jogadores tinham que dar expediente nas fábricas. Eram poucos jogadores como eu e o Oscar (ex-zagueiro do São Paulo que defendeu também a Seleção Brasileira e passou, com passagem pelo Nissan) que não precisávamos trabalhar. Não tinha o profissionalismo que existe hoje. Para se ter uma ideia, não tínhamos nem roupeiro”, comentou Lopes, afirmando que enfrentou o mesmo problema de adaptação da maioria dos brasileiros que vão para lá sem falar a língua japonesa.

 

Ropesu – “Se você não viver em Roma como um romano, nada vai dar certo. Por isso, passei os quatro primeiro anos estudando japonês para tentar me comunicar”, diz Lopes, explicando que ficou encantado com a cultura japonesa.

“Chegando lá foi tudo fascinante, a cultura, a educação, a disciplina, a maneira e o respeito que eles tratam as pessoas… A dedicação e empenho dos japoneses em prol do benefício coletivo são incríveis”, destaca Lopes. “Costumo dizer que nasci em lugar errado”, brinca o técnico, que atualmente comanda o Criciúma (SC), time que ocupa a 12º colocação no Campeonato Brasileiro da Série A. Aliás, o treinador é realista quanto as chances do Tigre no Brasileirão.

“Nosso primeiro objetivo é não cair para a Segundona. Permanecendo na elite, o que vier vai mostrar que estamos no caminho certo. Vamos lutar com muita garra”, diz Lopes, que vem de dois bons resultados – vitória por1 a0 no clássico contra a Chapecoense e um empate sem gols contra o Atlético (MG), atual campeão da Libertadores jogando fora de casa. O Criciúma voltaria a jogar pela Série A do Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira (28/05), contra o Coritiba, no estádio Heriberto Hüls.

Lopes, ou “Ropesu” como era carinhosamente chamado pelos torcedores japoneses, será um dos homenageados na 58ª edição do Prêmio Paulista de Esportes, que acontece no próximo dia 10, na Câmara Municipal de São Paulo. O ex-jogador já confirmou que estará presente na cerimônia.

Na próxima edição, Wagner Lopes comenta as chances da Seleção Japonesa na Copa do Mundo.

(Aldo Shiguti)

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

RIO DE JANEIRO: ASSOCIAÇÕES NIKKEIS DO RIO REALIZ... A festa de Ano Novo no Rio de Janeiro – Shinnenkai RJ, realizada pelas quatro entidades japonesas junto ao Consulado Geral do Japão – aconteceu em 8 d...
BOLSA DE ESTUDOS: MEXT Abre Inscrições para Bolsa ...   Até 13 de março estão abertas as inscrições para concorrer a bolsas de estudos  patrocinadas  pelo Ministério da Educação,Cultura, Esportes,...
MÚSICA: ‘Moments’ traz canções que marcaram carrei... O cantor sertanejo Joe Hirata acaba de lançar seu mais recente trabalho. Intitulado “Moments” – Músicas Japonesas – Volume 4 – o CD, o oitavo de sua c...
MOGI DAS CRUZES: Contagem Regressiva: Falta menos ...   Festival reunirá nomes cantores nikkeis vencedores do NHK do Japão e grupos de taiko e dança de todo Estado   Faltando duas seman...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *