ERIKA TAMURA: Sheik Zahyed, exemplo de liderança

 

No mês de setembro, estive à passeio em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos. E um detalhe me chamou a atenção: a forma administrativa do país.

A cidade de Abu Dhabi, foi fundada pelo Sheik Zahyed, que também acumulou o cargo de Presidente do país. Até hoje os Emirados mantém em seu poder o filho de Sheik Zahyed, o Sheik Khalifa.

Não sou a maior conhecedora da história, mas posso dizer com toda certeza, que o povo árabe ama esse Sheik e sua família, idolatra esse líder que foi o principal responsável pela união dos emirados para a formação do país, e contou com toda a sua diplomacia para que isso fosse concluído, afinal, foram  muitas conversas diplomáticas com outros países árabes para que a paz reinasse sobre o seu povo, e assim o desenvolvimento sustentável do país era uma questão de tempo. Consequências do que o Sheik Zahyed plantou para o seu país.

Conhecendo um pouco da história de Abu Dhabi, fiquei fascinada por esse sentimento de devoção que o povo árabe tem para com o Sheik Zahyed e agora com o seu sucessor, o seu filho Sheik Khalifa. É uma devoção de fidelidade, um respeito digno que só demonstra a grande diferença entre Brasil e Emirados Árabes, os árabes respeitam e admiram os seus governantes, e isso faz com que todos trabalhem para o bem de todos. Isso é a definição ideal de uma nação.

Gostaria muito de poder conhecer a filosofia de vida do Sheik Zahyed, pelo que pude perceber, era uma pessoa justa, imponente quando necessário, visionário, e acima de tudo, preocupado com o seu povo. Poderia ter sido mais um bilionário do petróleo, indiferente ao povo que ali vive, mas não. Preferiu batalhar pela construção do país, e não satisfeito quis fazer do seu país o melhor lugar do mundo para se viver, e acostumado ao luxo, quis dar ao seu povo o acesso ao mesmo luxo disponível à ele. Isso fica nitidamente claro quando adentramos a mesquita de Abu Dhabi, chamada de Mesquita Sheik Zahyed, é ali que seu corpo está, um lugar de muito luxo, imponente, com muita ostentação, mas que quando entrei senti uma paz espiritual tão forte, indescritível. E olha que conheço muito pouco sobre o islamismo, mas mesmo assim me encantei!

Que lugar incrível! Cheguei exatamente no horário do canto do Corão, mesmo sem entender nada me emocionei. E tive a certeza de que Sheik Zahyed é admirado porque tem motivos para isso, e que a adoração do povo não é em vão.

Para Sheik Zahyed, a sua riqueza e seus bens materiais só teriam importância se pudesse proporcionar ao seu povo um bem estar social, tanto é que trabalhou muito para isso, pois seria muito mais cômodo se ficasse na dele apenas aproveitando o dinheiro que tem, mas ao invés disso quis batalhar por uma nação mais igualitária, as leis são rígidas sim, mas existem os compensatórios. E isso fez do Sheik Zahyed um verdadeiro líder, e ainda segue a doutrina, pois com o filho no poder, o trabalho de liderança se mantém, na minha opinião um grande exemplo de liderança política.

Vi um grande outdoor nas ruas de Abu Dhabi, onde tinha uma foto do Sheik Zahyed e os dizeres: “Father Zahyed”, chamam-no de pai! Incrível esse grau de devoção popular, e para quem está de fora pode parecer tudo muito forçado, ou imposto, mas não é! Eu vi pessoalmente a espontaneidade do povo, e qual a importância significativa do Sheik Zahyed para cada uma daquelas pessoas.

Aqui no Japão, o sistema político é o parlamentarismo, mas temos a família real que faz as vezes diplomáticas do Japão, e o povo japonês também ama o Imperador, e respeita demais a família real, mas lá no Emirados Árabes Unidos, essa adoração é proporcionalmente muito maior. Uma lição de liderança administrativa, de conquista popular e de vida também, por que não?

 

 

 

Erika Tamura

nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: Aurora, Emi, Izildo, Oséas e Ubaldo   A,E,I,O e U estudavam no mesmo colégio, na mesma série, na mesma classe, e eram da mesma patota. A e E eram meninas normais, sonhadoras,...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: 100 anos do clã Yasunaga em ...   Foi celebrado no dia 20. A data exata é 10 de maio, mas a antecipação foi para aproveitar o feriado prolongado e facilitar a vinda dos que res...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Enquanto molhav...   Enquanto molhava os pés   Foi pelas areias molhadas Que caminhei enquanto do lado Esquerdo a água rolava em ondas A rebe...
ERIKA TAMURA: Concurso de oratória em português no... No último dia 6, domingo passado, fui convidada para prestigiar o concurso de oratória em português. Fiquei muito feliz com o convite que partiu d...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *