JAPÃO: Japonesa é condenada a 30 anos de prisão por deixar filhos morrerem de fome

 

Uma mulher de 25 anos foi condenada a 30 anos de prisão por deixar seus dois filhos morreram de fome depois de deixá-los trancados em seu apartamento, cercados de lixo, na cidade de Osaka, no Japão.

Sanae Nakamura, mãe solteira, deixava com frequência os filhos – uma menina de três anos e um menino de apenas um ano -, sozinhos no apartamento enquanto passava a noite na casa do namorado.

 

Sanae Nakamura abandonava seus filhos com frequência para sair com namorado (foto: reprodução)

 

Em março de 2010, ela começou a deixar os filhos sozinhos, de acordo com o periódico Asahi Shimbun, que acrescentou que a mulher parou de voltar para casa em meados de junho. Quando a mulher eventualmente retornou para seu apartamento, no final do mês, as crianças estavam mortas.

Sanae Nakamura foi condenada por homicídio e sentenciada a 30 anos de prisão em uma audiência preliminar, uma vez que ela sabia que deixar os filhos em casa sem comida poderia matá-los. A Suprema Corte confirmou a sentença, informaram o Asahi Shimbun e a agência Kyodo News.

 

Fonte: Terra

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
COMUNIDADE: Kibô-no-Iê recebe doação do Consulado ...   No dia 16 de janeiro de 2014, nas dependências do Consulado Geral do Japão, ocorreu a cerimônia de assinatura de contrato de doação em prol ...
TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR: Silvio Oyama toma pos... Em cerimônia realizada no último dia 26, o juiz Silvio Hiroshi Oyama tomou posse como presidente do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo...
TAIKÔ: 12º Festival Brasileiro acontece neste domi... A Associação Brasileira de Taikô realizará neste domingo (26), a partir das 8h30, no Cenforpe – Centro de Formação de Profissionais da Educação –, em ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *