KARAOKÊ / 27º BRASILEIRÃO: Renato Chibana é bicampeão do Brasileirão

 

O seu nome já está lá, registrado na galeria dos campeões.  O cantor e professor Renato Chibana venceu o Grand Prix da maior festa do Karaokê do Brasil, realizado em Campo Grande (MS). Os familiares e amigos festejaram juntos, numa emoção que começou ainda no palco. Abraços e palavras carinhosas dos jurados e muitos aplausos dos diretores, dos organizadores e se estendeu por todo o teatro do Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, local onde foi realizado o 27º Concurso Brasileiro da Canção Japonesa, nos dias 20, 21 e 22 de julho, reunindo cerca de 750 cantores, representantes de 28 delegações de várias partes do Brasil. Renato levou para casa 2 mil reais, ganhou uma passagem para o Japão e o carinho de toda uma torcida que, incansavelmente, ficou até o final para prestigiar o momento mais alto deste evento.

 

Trajetoria musical de Renato Chibana e marcada por muitas conquistas (foto: Celia Kataoka)

 

Em 2002, Renato Chibana conquistou o Grand Prix com “Sakimori no Uta”, levando a sua regional, Higashi (SP), para o topo. E este ano, Renato repete a vitória, com a música “Itoshii Kimie”. “Fiquei contente com todo o carinho e a energia positiva que meus familiares e amigos passaram, também com a conquista de minhas alunas Isadora e Angelaisa”, disse Renato. Isadora Kataoka, da Liga Centro-Oeste foi a segunda colocada do Grand Prix recebendo o troféu Saiyushu Kashosho. Já Angelaisa, também pertencente a mesma Liga, recebeu o prêmio Juri Popular, formado por um representante das entidades filiadas a Abrac (Associação Brasileira de Canção).

 

Isadora Kataoka recebe premio Saiyushu Kashosho (foto: Celia Kataoka)

 

Para chegar a este título, Renato disputou o Grand Prix ao lado de cantores de primeira linha e já consagrados no meio artístico: Sergio Tanigawa, Akira Ikawa, Cintia Nishimura, Angelaisa Toyota, Pamela Ashihara, Isadora Kataoka, Hisseko Yoshiama, Paulo Hokamura, Francine Nishimore, Mitsue Kina,  Eiichi Sugahara, Akira Sano e Eric Yazawa. Mas com uma técnica vocal perfeita e uma canção especial, o jovem Renato está vivendo um momento especial em sua vida.

 

Angelaisa Toyota premio Juri Popular (foto: Celia Kataoka)

 

Trajetória – A trajetória musical do cantor e professor Renato Chibana é marcada por momentos de muitas conquistas. Em 2005, veio à Campinas estudar Engenharia de Alimentos na Unicamp e passou a dar aulas de canto no Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas. E em um ano conseguiu fazer uma campeã paulista e um campeão brasileiro de karaokê. E assim foi realizando sonhos de vários cantores, através dos ensinamentos e técnicas adquiridas por ele. Dedicado e de uma filosofia de vida adquirida pelos pais Kokishi e Etsuko, ele transmite aos alunos a importância de conquistar objetivos com garra, dedicação e determinação.

 

Renato Chibana comemora com familiares e amigos (foto: Celia Kataoka)

 

Em 2000, venceu o Grand Prix do Paulistão. De Las Vegas, Estados Unidos, trouxe o terceiro lugar para o Brasil. Durante três anos, foi campeão brasileiro na categoria juvenil, e em Maringá, em 2002 venceu o Grand Prix do Brasileirão. E no outro lado do mundo, no Japão, Chibana trouxe para o Brasil mais um título, o de campeão no concurso Taishu Ongakusai. Foi para a Irlanda representar o Brasil num concurso internacional e atualmente participa do show Dream Concert, ao lado de cantores campeões de karaokê.

(Célia Kataoka, especial para o Jornal Nippak)

 

 

Notas do Brasileirão

 

Pedro Mizutani, Isabela Kataoka e Aquico Miyamura (foto: Celia Kataola)

 

Dantaissen – A vencedora foi Higashi (SP), com 13.592,75 pontos. A Centro-Oeste (SP) ficou em segundo, com 13.590,95 e o terceiro lugar foi para a Noroeste (SP), com 13.554,92. O dantaissen é o reconhecimento por equipe, com pontuação obtida pelos jurados. O presidente geral Ricardo Origasa conta com os vices Tadao Ebihara e Cecília Ohira.

Abrac Young – A novidade deste ano foi a criação do I concurso Internacional com a participação 59 cantores de várias regiões do Brasil. Alguns se revelaram no palco e no ano que vem a Abrac pretende ter novas adesões, para conquistar o público jovem e também os não descendentes ou aqueles que querem ouvir a música em outros idiomas.

(Célia Kataoka)

 

 

Abertura oficial reúne autoridades

 

Origassa, Akemi, Pedro, Tadao e Olimpio (foto: Celia Kataoka)

 

Esta festa do Karaokê foi organizada pela Associação Esportiva e Cultural Nipo-Brasileira de Campo Grande – AECNB – presidida por Bernardo Yukishigue Tibana e a Associação Brasileira de Canção – ABRAC – comandada pela presidente Akemi Nishimori e mais um batalhão de diretores, técnicos, amigos e voluntários. O governador do Estado de Mato Grosso do Sul (MS) André Puccinelli em sua mensagem, no programa, destacou que “agregamos ao nosso caldeirão da diversidade cultural elementos trazidos pelos irmãos nipônicos, os quais com muito esforço e coragem souberam superar as adversidades e aqui fincaram suas raízes”. E prossegue: “O Estado é a terceira maior comunidade nikkei do Brasil, em sua maioria remanescentes dos pioneiros da colonização agrícola que aqui chegaram em busca da colonização agrícola e da prosperidade econômica”.

A abertura oficial contou com a presença de várias autoridades. “É uma oportunidade de rever amigos, Campo Grande é uma cidade nova e está aberta para todos e recebe de braços abertos”, disse Bernardo Tibana. Wilson Takeshi Haguio, coordenador geral do evento, lembrou daqueles que viajaram 5 mil quilômetros (do Amazonas) e de outros que de longe vieram para prestigiar o Concurso “pelo amor à música”.  Tetsuji Arie se despediu da coordenação da Abrac, dizendo que “me sinto realizado”.

Ele realizou concursos gigantescos e o seu maior desafio foi quando organizou para 10 mil pessoas e no ano que vem  estará  torcendo, da plateia. Akemi Nishimori agradeceu os diretores, vice- diretores, aos coordenadores em geral, voluntários, aos patrocinadores, além de todos os envolvidos nesta grande festa e principalmente a boa acolhida que teve pela cidade de Campo Grande.

Pedro Mizutani, presidente da Raizen, falou em nome de todos os patrocinadores e colaboradores do Brasileirão. “É importante a participação e apoio dos patrocinadores em eventos desta magnitude e já participamos de três edições”, disse. “E a economia e difusão cultural passa necessariamente pelo Estado de Mato Grosso que cresce a cada ano”, completa. Após os discursos, aconteceu o tão esperado desfile das 28 porta-bandeiras. Os hinos do Brasil e do Japão foram executados pela Banda Oficial da Base Aérea de Campo Grande e em seguida teve a apresentação do Grupo de Taikô, dança clássica, Yosakoi Soran e do grupo Street.

(Célia Kataoka) 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

CAMPO GRANDE: Cultura japonesa ganha destaque com ...   O Centenário da Imigração Japonesa em Mato Grosso do Sul recebeu nos dias 21 a 23 de novembro uma homenagem especial, a Expo Brookfield, uma...
ARTES: Artista Mariko Mori inaugura escultura monu... Reconhecida internacionalmente por combinar ciência, tecnologia e natureza em seus trabalhos, a artista plástica japonesa Mariko Mori se propôs um des...
KAGAWA: Promove Friendz Night Friendz Night, promovido pela Associação da Província de Kagawa que tem como objetivo integrar as pessoas, fazendo novos círculos de amizade e também ...
RIO DE JANEIRO: Governo japonês promove série de a... Localizada na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a Tokyo 2020 Japan House promove nesta sexta-feira (19), a partir das 15h20, ev...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *