SILVIO SANO > NIPÔNICA: Quem tem uma presidente como a que temos…

A personagem do momento, recordista de memes nas redes sociais, é a nossa presidente, e que culminou no pronunciamento que deu recentemente, na ONU, com direito a tradução simultânea ou seja… ao mundo! Não dá para contestar, tampouco deixar fora da Nipônica!

Para quem não viu, vale repetir a parte da fala que gerou essa merecida repercussão nas redes sociais: “Até agora, a energia hidrelétrica é a mais barata… em termos do que ela dura, com a manutenção e também pelo fato da água ser gratuita… e da gente poder estocar. O vento podia ser isso também, mas você não conseguiu ainda a tecnologia para estocar vento. Então, se a contribuição dos outros países… vamos supor, que seja desenvolver uma tecnologia que seja capaz de, na eólica, estocar, ter uma forma de você estocar… porque o vento… ele é diferente em horas do dia. Então, vamos supor que vente mais à noite, como eu faria para estocar isso?”

Talvez tenha sido o ponto alto da sua série de frases merecedoras de memes… ou não, porque ela sempre nos surpreende… E como também não sou de ferro, para escrever esta Nipônica fui pesquisar na internet. Vixi! Como têm!!

Quem não se lembra do 13 – 4 = 7? Sem contar que, logo após corrigida, esbarrou “no… no… furacão Katrina… não… não… eu tô pensando no Fukugima (?)… não… não… como chama?… no tsunami…” Ou como para justificar o encontro secreto com o ministro Lewandowski, em Portugal… “porque, hoje, era um dia que ele podia e eu podia…eu podia… quase que eu não podia… porque eu vinha pra cá…”

E como acabamos de comemorar o dia das Crianças, como esquecer esta no do ano passado? “O dia da Criança é o dia da mãe, do pai, das professoras… mas também é o dia dos… dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta… que é um cachorro, atrás!”

Num pronunciamento, na Sebrae, na referência às micro empresas “… nós não vamos colocar uma meta, nós vamos deixar uma meta aberta… e quando a gente atingir a meta, nós dobramos a meta!… quando a gente atingir a meta, nós dobramos a meta!” Verdade! Repetiu essa última frase!

E não poderia encerrar sem trazer a que foi tão cômica quanto a primeira, lá em cima, e que além de memes, como aquela, gerou também sátiras musicais… até para gargalhar mesmo que tenhamos razões, de sobra, contrárias a isso… que foram as saudações à mandioca, ao milho e a referência à… mulher sapiens, na abertura dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Após referências óbvias, finalizou fulminante… “Então, aqui, hoje, eu tô saudando a mandioca, uma das maiores conquistas do Brasil.” E prosseguiu… “Nós temos a mandioca, estamos comungando a mandioca com o milho e certamente teremos uma série de outros produtos que foram essenciais para o desenvolvimento”

E não parou por aí. Pegando uma bola feita com folhas de bananeira… “Pra mim, esta bola é um símbolo da nossa evolução… quando nós criamos uma bola destas, nós nos transformamos em homens sapiens ou… mulheres sapiens”!!!

Reis e seus bobos

Parcerias sempre presentes

Mas nunca fundidos!

 

SILVIO SANO

SILVIO SANO

é arquiteto, jornalista e escritor.

E-mail: silvio.sano@yahoo.com
www.nikkeypedia.org.br/index.php/Silvio_Sano
SILVIO SANO

Últimos posts por SILVIO SANO (exibir todos)

     

     

    Related Post

    AKIRA SAITO: 33° Campeonato Brasileiro de Karate-d... Acontece nos dias 19, 20 e 21 de maio de 2017, na cidade de Tubarão-SC, o 33° Campeonato Brasileiro de Karate-do Goju-ryu IKGA, que servirá de seletiv...
    MUNDO VIRTUAL: Sobre a preservação de um e-mail A cada dia, os veículos de comunicação divulgam notícias que representam orientações ou advertências aos usuários da internet, e ao mesmo tempo  auxil...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: 90 ANOS DO IMINSAI DE GUAIMB...   Cerimônia de abertura - Mesa das autoridadeS (Foto: Shigueyuki Yoshikuni)   Sacerdote Sadayuki Saito: primeiro ofício (Foto: Sh...
    JORGE NAGAO: Betinho e Maria Nakano O documentário “Betinho, esperança equilibrista”, de Victor Lopes, lançado em outubro, é um filme emocionante. Conta a incrível vida de Herbert de Sou...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *