TÊNIS DE MESA: A DIFÍCIL MISSÃO DE POPULARIZAR A MODALIDADE

Imagino como os dirigentes do badminton, kendô, gatebol, tiro com arco e esgrima, devem tem dificuldades para conseguir mais adeptos para a prática habitual de seus esportes.

Em países desenvolvidos, com política esportiva e dirigentes competentes e sérios, todos compromissados com a modalidade que coordena, existem projetos reais de popularização e massificação.

 

Marcos Yamada durante uma de suas muitas palestras. Foto: Arquivo Pessoal

 

Neste final de semana, tivemos um exemplo típico na Fórmula 1, palco de muita mídia e propaganda. O nosso Felipe Massa e outros famosos pilotos, jogaram tênis de mesa contra os campeões na China.

Na Alemanha existe uma Perua contendo mesas, raquetes, bolas, mini mesas, que visita as escolas organizando torneios e realizando exibições para divulgar e trazer novos adeptos.

No Japão, a equipe nacional antes de uma competição oficial, tipo Mundial ou Olimpíada, realiza jogos de exibição e interagem com o público, objetivando doações para a viagem e criando sua torcida para aquele evento.

Os donativos são simbólicos e os atletas oferecem bolas e camisetas autografadas, bonecos do evento e brindes.

Na Europa, muitas rodadas de suas Ligas, tem atrações, sorteios, shows, todos pagam ingressos mas pelo retorno obtido, saem satisfeitos do evento. Coffee break no intervalo das rodadas, televisão,DJ, entrevistas, etc.

E no Brasil, o que temos? Eventos atrativos Público fiel ao tênis de mesa que pagariam para assistir uma rodada do Campeonato Paulista ou Brasileiro? Jogos interclubes, Ligas Profissionais? Ao chegar no ginásio os visitantes vão entender o que está acontecendo? Quais são os atletas renomados, em que rodada está o torneio, quais são as categorias em disputa, quais clubes estão jogando?

Eu continuo contribuindo com palestras e clínicas em todo o país, onde já visitei os 27 estados brasileiros dando aulas gratuitas para os mesa-tenistas e no último final da semana foi a vez de Caraguatatuba e região com mais de 50 participantes. Não só ensinando as técnicas, mas passando um pouco dos benefícios de praticar uma modalidade assiduamente, desenvolvendo o esp[irito de equipe, disciplina, humildade, planejamento e caráter, que são ingredientes importantes para se tornar um bom atleta.

Também falo muito sobre a cultura japonesa, que se encaixa muito bem neste esporte, por isso há anos existe a predominância dos atletas nikkeis na seleção brasileira.

 

MARCOS YAMADA

MARCOS YAMADA

Engenheiro e Consultor Especialista em Tenis de Mesa
MARCOS YAMADA

Últimos posts por MARCOS YAMADA (exibir todos)

    Related Post

    TÊNIS DE MESA: Profissionalismo e dedicação marcam... Com apenas dois anos de experiência em organização de etapas da Liga Nipo-Brasileira de Tênis de Mesa, a ACEAS Suzano realizou, no último dia 3, uma d...
    SOFTBOL: MARÍLIA CAMPEÃ da X Taça Brasil de Softbo...   Realizado nos dias 18 e 19 de maio, no campo do Coopercotia em São Paulo, a 10ª edição da Taça Brasil de Softbol Interclubes Junior, com a p...
    MARILIA: XXX Campeonato Brasileiro de Gueitebol e...   Será realizado nos dias 18 e 19, com a participação de 207 tímes de vários estados. Alguns bem distantes como Tocantins, Bahia, Rio de J...
    SOCIAL: GAMBARÊ, JAPÃO!   Cerca de 200 torcedores dos "Samurais Azuis", entre anônimos e vips,  se reuniram na noite do último sábado (14) no Salão Nobre do Bunkyo (S...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *